Diferenças entre edições de "Ferruccio Lamborghini"

121 bytes removidos ,  21h37min de 4 de março de 2014
Alteração de conteúdo parcial e de veracidade duvidosa
(Alteração de conteúdo parcial e de veracidade duvidosa)
 
=== 1916 ===
Ferruccio [[Lamborghini]], o protagonista de uma vida feita de coragem, determinação e bom senso, primogénito de cinco irmãos, filhos de Antonio Lamborghini, proprietário agrícola na povoação de Renazzo, a norte da região de [[Bolonha]] ([[Itália]]), nasce em Cento, a 28 de Abril de 1916, predestinado a passar à posteridade para o grupo dos homens com "H Maiúsculo"destacando-se no sector de tractores agrícolas e automóveis desportivos de luxo.
 
Depois de aprender a arte de trabalhar a terra e a maneira esforçada como na época as tarefas físicas exigiam, pela ajuda que cedo começou a dar a seu pai nas tarefas agrícolas do dia-a-dia, com a tenra idade de 14 anos decidiu ir à procura de emprego no ofício para onde mais pendia a sua inclinação profissional. E assim foi parar a Bolonha, onde arranjou colocação como aprendiz de mecânico na Casa Righi, com o vencimento de apenas 15 liras por semana, pois na altura, em pleno "boom" do fascismo, as sanções impostas haviam abalado as pequenas indústrias e outro tipo de empresas.
E voltando às suas origens ligadas à terra, Ferruccio compra uma propriedade que confina com o lago Trasimone, onde num enquadramento paisagístico paradisíaco constrói uma vivenda, que dá o nome à propriedade — La Fiorita —, a condizer em grandeza e bom gosto com o ambiente envolvente, constituído por uma plantação de vinha a perder de vista, implantada a conselho e por orientação dos melhores peritos em vitivinicultura. O [[vinho]] produzido, lançado no mercado mundial através da Feira de Verona, com garrafas expostas por cima de automóveis Lamborghini, acompanhado por manequins italianas semivestidas com super mini-saias e decotes arrojados até ao umbigo, a darem a provar aos visitantes um vinho cunhado como sendo "o generoso sangue dos Miúra" foi um sucesso absoluto. A produção desse ano e de anos seguintes, em média a rondar as 800 mil garrafas, foi praticamente toda vendida para exportação e a um preço que só não assusta os muitos compradores de carros da classe dos Lamborghini.
 
Para remate deste conto de fadas, Ferruccio Lamborghini casa em segundas [[núpcia]]s com Teresa, que o presenteiatendo com o nascimento deela uma filha linda que, nãodando tendoa nadaela de plebeia dá peloo nome de Patrizia. Ferruccio Lamborghini, aos 60 anos de idade era um homem feliz por tudo o que tinha, e sem o fardo pesado de problemas que habitualmente carregava às costas durante a sua atribulada vida de trabalho. Passava os dias a viver a maior parte do seu tempo livre a olhar pela sua propriedade, afinando e reparando os seus tratores ou trabalhando com eles por distracção, combinando, como [[passatempo]], com os dias e as noites em que recebia, na La Fiorita, a nata da sociedade de [[Itália]] e do resto do mundo com quem sempre conviveu e esteve ligado por razões profissionais.
 
Como tributo à valiosa obra deixada pelo seu pai, Tonito Lamborghini mandou construir, com projecto do reconhecido arquitecto Diversi, em [[Imola]] (Ferrara), um museu aberto ao público com as principais e originais produções Lamborghini, como testemunho da contribuição dada à Humanidade pelo autor, no que concerne à invenção e desenvolvimento de produtos ao serviço de causas tão nobres.
Utilizador anónimo