Abrir menu principal

Alterações

2 421 bytes adicionados ,  21h08min de 14 de abril de 2015
m
Foram revertidas as edições de 200.149.126.246 para a última revisão de 187.86.225.51, de 15h46min de 8 de abril de 2015 (UTC)
 
A revolta dos marinheiros foi retratada no filme Bronenosets Potyomkyn (em [[cirílico]], Броненосец Потемкин), em português, ''[[Encouraçado Potemkin]]'', de [[Sergei Eisenstein]], lançado em [[1925]].
 
== Resultados ==
Em outubro de 1905, para tentar remediar a situação, o Czar [[Nicolau II da Rússia|Nicolau II]] relutantemente lançou o famoso '''Manifesto de Outubro''', que permitiu a criação de uma [[Duma]] (parlamento) nacional e a existência de partidos políticos, destacando-se o Partido Social-Democrata, que se havia dividido em [[1903]], dando origem ao [[Partido Menchevique]], em minoria, mais moderado e que defendia uma reforma gradual com o apoio da [[burguesia]], e o [[Partido Bolchevique]], que detinha a maioria, era mais radical e defendia uma ação revolucionária.
 
Estas medidas surtiram escasso efeito, visto que os partidos eram sistematicamente vigiados e a Duma era controlada pela aristocracia e pelo czar, que podia dissolvê-la a qualquer momento.
 
[[Imagem:Repin 17October.jpg|thumb|direita|320px|[[Ilya Repin]], ''17 de Outubro de 1905'']]
 
Os grupos moderados se satisfizeram, mas os socialistas rejeitaram as concessões como insuficientes e tentaram organizar novas greves. Ao fim de 1905, os reformadores estavam lutando entre si. Graças a essas divergências, o Czar teve sua posição relativamente fortalecida.
 
Vale observar que, após o término da guerra contra o Japão, as tropas russas, que desconheciam as atitudes do czar contra o povo, retornaram ao país e, a mando do soberano, reprimiram o movimento. Muitos líderes oposicionistas foram presos ou exilados, e os sovietes colocados na ilegalidade e fechados. As promessas feitas pelo manifesto de outubro foram deixadas de lado, com exceção da Duma, que continuou a funcionar. A revolução de 1905 havia fracassado. O czar se havia reabilitado. Entretanto, havia perdido o apoio popular de que dispunha até 1905. As massas russas viam o czar como um pai, um monarca benévolo que protegeria o povo quando viesse a saber da sua miséria - pois, acreditava-se, era mantido na ignorância pela nobreza corrupta e gananciosa que o cercava.
 
Após o Domingo Sangrento, esse pensamento desapareceu. Como poderia o czar ter ignorado o martírio de seu povo justo em frente à sua residência? No longo prazo, o "Domingo Sangrento" se somou a outros fatores que faziam crescer o descontentamento da população para com o regime vigente. O clímax desse processo seria atingido anos depois, durante a participação da Rússia na [[Primeira Guerra Mundial]], e resultaria na [[Revolução Russa de 1917]].
 
{{referências}}
122 216

edições