Diferenças entre edições de "Castelo de Windsor"

Sem alteração do tamanho ,  18h12min de 28 de abril de 2015
m
m ("excessão" não existe em Português.)
Os Apartamentos de Estado formam a maior parte da Ala Superior e estão ao longo do lado norte do quadrângulo. O prédio moderno segue as fundações medievais colocadas por [[Eduardo III de Inglaterra|Eduardo III]], com o andar térreo sendo formado por porões e câmaras e o mais grandioso primeiro andar formando a parte principal do palácio. No primeiro andar, o desenho do canto oeste dos Apartamentos de Estado é principalmente obra do arquiteto Hugh May, enquanto a estrutura do lado leste representa os planos de Jeffry Wyatville.{{nota de rodapé|A Sala de Desenho da Rainha, o Salão de Baile da Rainha, Câmara de Audiências da Rainha, Câmara de Presença da Rainha, Câmara da Guarda da Rainha, Câmara de Presença do Rei, Sala de Audiências do Rei, Câmara de Desenho do Rei e a Câmara de Jantar do Rei estão na estrutura do século XVII de May. Wyatville transformou os desenhos do canto leste dos Apartamentos de Estado, formando o Grande Salão de Recepção, a Sala de Desenhos Branca, Sala de Desenhos Verde, Sala de Desenhos Carmesim, a Câmara de Waterloo, o Salão de Jantar de Estado e o Salão de Jantar Octogonal.}} Os interiores foram em sua maior parte projetados por Wyatville no início do século XIX. Ele tinha a intenção que cada aposento ilustrasse um estilo particular aquitetônico e que combinasse com móveis e obras de arte do período.<ref> {{harvnb|Nicolson|1997|p=79}} </ref>
 
O conceito de Wyatville continua a dominar os apartamentos até hoje, apesar de algumas alterações com o passar dos anos. Aposentos diferentes seguem os estilos [[Arquitetura do neoclassicismo|clássico]], gótico e rococó, juntos com elementos jacobinos em alguns lugares.<ref> {{harvnb|Nicolson|1997|pp=79, 172–173}} </ref>Vários aposentos no canto leste do castelo foram restaurados após o incêndio de 1992, utilizando métodos de "restauração equivalente" – as salas foram restauradas para que ficassem similares a sua aparência original, mas usando materiais modernos e escondendo melhoramentos estruturais.{{nota de rodapé|"Restauração autêntica" involveenvolve o uso de materiais e métodos originais. "Restauração equivalente", como foi o caso de Windsor, pode integrar "compartimentação resistente ao fogo, dutos de serviço, materiais higiênicos e pisos fortalecidos" modernos, contanto que não sejam vistos.<ref name=nicolson78 > {{harvnb|Nicolson|1997|p=78}} </ref> }}<ref name=nicolson78 /> Esses aposentos também foram ao mesmo tempo parcialmente redesenhados para corresponder mais de perto ao gosto moderno. O historiador de arte Hugh Roberts elogiou os Apartamentos de Estado como "uma sequência soberba e iniguilável de quartos amplamente considerados como a expressão mais completa do posterior gosto jorgiano"<ref> {{harvnb|Nicolson|1997|p=79}} </ref> Outros, como o arquiteto Robin Nicolson e o crítico Hugh Pearman, os descreveram como "brandos" e "nitidamente maçantes".<ref> {{harvnb|Nicolson|1997|p=70}} </ref>
 
[[Ficheiro:Windsor Castle Crimson Drawing Room.jpg|thumb|left|upright|A Sala de Desenhos Carmesim em 2007, reforma pós-incêndio de 1992.]]
10 947

edições