Abrir menu principal

Alterações

49 bytes removidos, 03h37min de 25 de maio de 2015
Correcao
'''Édouard Manet''' ([[Paris]], [[23 de janeiro]] de [[1832]] — Paris, [[30 de abril]] de [[1883]]) foi um [[Pintura|pintor]] e [[Artes gráficas|artista gráfico]] [[França|francês]] e uma das figuras mais importantes da arte do [[século XIX]].
 
Os gostos de Manet não vão para os tons fortes utilizados na nova estética impressionista. Prefere os jogos de luz e de sombra, restituindo ao nu a sua crueza e a sua verdade, muito diferente dos nus adocicados da época. O trabalhado das texturas é apenas sugerido, as formas, simplificadas. Os temas deixaram de ser impessoais ou alegóricos, passando a traduzir a vida da época, e, em certos quadros, seguiam a estética naturalista de [[Émile Zola|Zola]] e [[Guy de Maupassant|Maupassant]].
 
Manet era criticado não apenas pelos temas, mas também por sua técnica, que escapava às convenções acadêmicas. Frequentemente inspirado pelos mestres clássicos e em particular pelos espanhóis do [[Século de Ouro]], Manet influenciou, entretanto, certos precursores do [[impressionismo]], em virtude da pureza de sua abordagem. A esta sua liberação das associações literárias tradicionais, cômicas ou moralistas, com a pintura, deve o fato de ser considerado um dos fundadores da ''[[arte moderna]]''. Suas principais obras foram: ''Almoço na relva'' ou ''Almoço no Campo'', ''Olímpia'', ''A sacada'', ''O tocador de pífaro'' e ''A execução de [[Maximiliano da Áustria|Maximiliano]]''.
Utilizador anónimo