G (física): diferenças entre revisões

16 bytes adicionados ,  23h39min de 10 de setembro de 2015
m (Reversão de uma ou mais edições de 186.227.215.91 para a versão 42507317 de Ariel C.M.K., com Reversão e avisos.)
A tolerância humana depende da magnitude da força-g, dependendo da duração, da intensidade e do local onde é aplicada essa força. O corpo humano é flexível e deformável, como ocorre quando uma pessoa recebe um tapa no rosto.
 
Um aeronave pode obter dois tipos de força-g: a ''força-g vertical'' e ''força-g horizontal''. A força-g vertical acontece quando a aeronave sobe totalmente em posição ereta, tanto subindo quanto descendo. Isto causa uma variação significativa na [[pressão sanguínea]] ao longo do corpo, o qual só tolera um certo limite. Caso esse limite seja ultrapassado, irá acontecer a perda de consciência. Uma pessoa normal aguenta cerca de uma [[aceleração]] de ''5 g'' (ou 50  m/s²), ocorrendo o enrijecimento dos músculos devido a força que o sangue exerce na volta do cérebro. Os atuais pilotos, principalmente os de caças supersônicos, são capazes de aguentar uma aceleração de ''9 g'' (90 m/s²) por um período de tempo maior da de umavitoor pessoamatheus normal.msb
 
na volta do cérebro. Os atuais pilotos, principalmente os de caças supersônicos, são capazes de aguentar uma aceleração de ''9 g'' (90 m/s²) por um período de tempo maior da de uma pessoa normal.
 
Existe um outro tipo de influencia da força-g, chamada de força negativa, isto ocorre quando há uma queda brusca da pressão sanguínea enviada ao cérebro. O limite permissível é entre -2 g a -3 g (-20 m/s² a -30 m/s²). Quando se chega a esse nível, os capilares dos olhos incham ou explodem deixando a visão toda vermelha. Um humano pode sobreviver a uma aceleração de ''20'' a ''40''g por um pequeníssimo espaço de tempo. Uma aceleração de 15 g por mais de 1 minuto pode acarretar a morte do piloto. Qualquer exposição a ''100 g'' ou mais, poderá ser mortal.
Utilizador anónimo