Diferenças entre edições de "Possessão demoníaca"

164 bytes adicionados ,  04h08min de 13 de outubro de 2015
Desfeita a edição 43634078 de Ixocactus
m (Foram revertidas as edições de 191.178.76.236 para a última revisão de Ixocactus, de 20h30min de 7 de outubro de 2015 (UTC))
(Desfeita a edição 43634078 de Ixocactus)
 
== Visão científica ==
A [[possessão demoníaca]] não é um diagnóstico [[Psiquiatria|psiquiátrico]] ou [[Medicina|médico]] válido e reconhecido pelo [[Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais|DSM-IV]], sendo "reconhecido" pelo [[Classificação internacional de doenças|CID-10]]: item F.44F44.3 - "define estado(Estados de transe e de possessão) como- a"Transtornos caracterizados por uma perda transitória da consciência de sua própria identidade, comassociada manutençãoa deuma conservação perfeita da consciência do meio- ambiente,. fazendoDevem aaqui distinçãoser entreincluídos somente os normais,estados oude seja,transe osinvoluntários quee acontecemnão pordesejados, incorporação'''excluídos ouaqueles atuaçãode dossituações espíritos,admitidas dosno quecontexto sãocultural patológicos,ou provocadosreligioso''' pordo doençasujeito." (Grifo nosso).<ref>http://somostodosumwww.igdatasus.comgov.br/jacid10/detalhesV2008/WebHelp/f40_f48.asp?acao=artigos&vid=1020044,3&id=30226htm</ref>
 
Aqueles que professam a crença em possessões demoníacas por vezes descrevem sintomas que são comuns a várias [[Doença mental|doenças mentais]], como [[histeria]], [[mania]], [[psicose]], [[síndrome de Tourette]], [[epilepsia]], [[esquizofrenia]] ou [[transtorno dissociativo de identidade]].<ref name="How Exorcism Works">[http://science.howstuffworks.com/exorcism5.htm How Exorcism Works]</ref><ref>[https://scholarsbank.uoregon.edu/dspace/handle/1794/1530 J. Goodwin, S. Hill, R. Attias "Historical and folk techniques of exorcism: applications to the treatment of dissociative disorders"]</ref><ref>[http://www.leaonline.com/doi/abs/10.1207/s15327752jpa6603_4 Journal of Personality Assessment (abstract)]</ref> Em casos de [[transtorno dissociativo de identidade]] em que a [[personalidade]] é questionada quanto à sua identidade, 29% são relatados como possessões de [[demônio]]s.<ref>[http://www.rcpsych.ac.uk/pdf/erlendsson_01_jun_03.pdf Microsoft Word - Haraldur Erlendsson 1.6.03 Multiple Personality<!-- Bot generated title -->]</ref> Além disso, há uma forma de [[monomania]] denominada "demoniomania" ou "demonopatia" em que o paciente acredita que está possuído por um ou mais demônios.
Historicamente, a possessão demoníaca era considerada a causa da [[loucura]]<ref>[http://www.abpbrasil.org.br/sala_imprensa/manual/img/Cartilha_ABP_2009_light.pdf Manual para a Imprensa - Boas Práticas de Comunicação e Guia com recomendações para um texto claro e esclarecedor sobre doenças mentais e psiquiatria], ''site'' da [[Associação Brasileira de Psiquiatria]]</ref>. Um dos livros embora um clássico documento, relegado à segundo plano por sua opção religiosa sobre o tema é "[[A Loucura sob novo prisma]]" do médico [[homeopatia|homeopata]] e [[cirurgião]], [[espírita]], [[Bezerra de Menezes]] (1831 — 1900). No desenvolvimento da psiquiatra no Brasil esse tema também foi abordado sobretudo pela escola baiana, entre outros) sobretudo por [[Nina Rodrigues]] (1862 — 1906) que apesar da carga de preconceitos e patologização de manifestações religiosas (interpretando estas como manifestações epilépticas ou histéricas) conseguiu reunir e produzir considerável material etnográfico sobre as religiões africanas tendo como continuadores vultos como [[Estácio de Lima]] (1897 — 1984), [[Arthur Ramos]] (1903 -1949) entre outros.
 
A interpretação psicanalítica inaugurou uma forma de estudo até hoje válida, na perspectiva da relação entre o conteúdo religioso e manifestações criminosas. Pode-se tomar como marco dessa abordagem o trabalho dedo ateu <ref>[https://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Judeus_ateus]</ref>[[Sigmund Freud]] “Uma neurose demoníaca do século XVII” (1922) <ref>Freud, Sigmund. Uma neurose demoníaca do século XVII (1922), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro, Imago, 1976.</ref>
 
Hoje em dia considera-se que a maioria dos casos de ''possessão demoníaca'' são distúrbios sociológicos, e não patológicos<ref>[http://www.abpbrasil.org.br/historia/arquivos/history_of_spiritist_madness.pdf History of ‘Spiritist madness’ in Brazil], ''site'' da [[Associação Brasileira de Psiquiatria]]</ref>. Dalgalarrondo em estudo de revisão de trabalhos publicados desde o final do século XIX sobre messianismo;, "loucura religiosa" e trabalhos contemporâneos relacionando religião, uso de álcool e drogas, além de algumas condições clínicas (esquizofrenia e suicídio), refere-se à ausência de uma linha de pesquisa que proporcione uma melhor articulação entre investigação empírica e análise teórica dos dados, assim como um diálogo mais próximo da [[psiquiatria]] com ciências sociais, como a antropologia e a sociologia da religião para um maior avanço nesta área. <ref>Estudos sobre religião e saúde mental realizados no Brasil: histórico e perspectivas atuais. Rev. psiquiatr. clín. v.34 supl.1 São Paulo 2007 [http://www.scielo.br/pdf/rpc/v34s1/a05v34s1.pdf PDF] Jan.2011</ref>
 
== Ver também ==
Utilizador anónimo