Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
 
==Brasil no Sul-Americano==
Um episódio ocorrido durante a segunda viagem da Seleção Brasileira à Argentina, em 1916, foi o ponto de partida para camuflar os sentimentos de discriminação e preconceito existentes no Brasil. Um dos jornais de Buenos Aires publicou uma charge em que os jogadores brasileiros eram representados por macacos magricelas que saltavam de galho em galho, fazendo piruetas. A comparação virou gozação popular e os brasileiros passaram a ser chamados de “macaquitos”. Como o Sul-Americano de 1921 seria realizado em Buenos Aires, os gênios que mandavam no País ficaram preocupados com a imagem que o Brasil levaria para o exterior. Por mais incrível que pareca, consta que o próprio presidente da República,[[ Epitácio Pessoa]], convocou a diretoria da [[CBD]] para uma reunião no [[Palácio do Catete]], onde fez a recomendação de que só deveria seguir para a competição o melhor da nossa elite futebolística – ou seja, os moços das melhores famílias, peles mais claras, de cabelos lisos. Assim, craques como o mulato Friedenreich e negros não deveriam ser convocados. Apesar de protestos como o do escritor [[Lima Barreto]], nada mudou e os jogadores partiram para mais uma disputa, e mais uma vez sem os jogadores de São Paulo, porque as entidades ainda continuavam em litigio.Na partida de estreia o Brasil enfrentou os argentinos, e perdeu o jogo por 1 a 0 e também o atacante Nono, que ficou fora da competição. No segundo jogo, venceu os paraguaios por 3 a 0, sem apresentar uma exibição convincente. Veio o Uruguai e foram derrotados por 2 a 1. Mesmo assim, o Brasil ficou em segundo lugar na competição. A grande revelação do torneio foi o goleiro [[Kuntz]], que, por suas fantásticas defesas, ganhou o apelido de “El Coloso” e um tango com o mesmo nome. O compositor foi o maestro [[Francisco Canaro]]. <ref>{{citar web|url=http://books.google.com/books?id=e7Jrej-ddv8C&pg=PA11&lpg=PA11&dq=:+Sele%C3%A7%C3%A3o+Brasileiras+90+anos+-+Antonio+Carlos+Napole%C3%A3o+e+Roberto+Assaf&source=bl&ots=ABQzykiwgu&sig=JG3T1wjm66_UpFv6XLRqJfiQMk4&hl=en&sa=X&ei=kvsPUaHOCY2v0AHhioHoDw&ved=0CEwQ6AEwAw#v=onepage&q=%3A%20Sele%C3%A7%C3%A3o%20Brasileiras%2090%20anos%20-%20Antonio%20Carlos%20Napole%C3%A3o%20e%20Roberto%20Assaf&f=false=3|titulo=Seleção Brasileiras 90 anos|lingua=portugues|acessodata=14 de fevereiro de [[2012]]}}</ref>.
Como o Sul-Americano de 1921 seria realizado em Buenos Aires, os gênios que mandavam no Pais ficaram preocupados com a imagem que o Brasil levaria para o exterior. Por mais incrível que pareca, consta que o próprio presidente da República,[[ Epitácio Pessoa]], convocou a diretoria da [[CBD]] para uma reunião no [[Palácio do Catete]], onde fez a recomendação de que só deveriam seguir para a competição o melhor da nossa elite futebolística – ou seja, os moços das melhores famílias, peles mais claras, de cabelos lisos. Assim, craques como o mulato Friedenreich e negros não deveriam ser convocados. Apesar de protestos como o do escritor [[Lima Barreto]], nada mudou e os jogadores partiram para mais uma disputa, e mais uma vez sem os jogadores de São Paulo, porque as entidades ainda continuavam em litigio.
Na partida de estreia o Brasil enfrentou os argentinos, e perdeu o jogo por 1 a 0 e também o atacante Nono, que ficou fora da competição. No segundo jogo, venceu os paraguaios por 3 a 0, sem apresentar uma exibição convincente. Veio o Uruguai e foram derrotados por 2 a 1. Mesmo assim, o Brasil ficou em segundo lugar na competição. A grande revelação do torneio foi o goleiro [[Kuntz]], que, por suas fantásticas defesas, ganhou o apelido de “El Coloso” e um tango com o mesmo nome. O compositor foi o maestro [[Francisco Canaro]]. <ref>{{citar web|url=http://books.google.com/books?id=e7Jrej-ddv8C&pg=PA11&lpg=PA11&dq=:+Sele%C3%A7%C3%A3o+Brasileiras+90+anos+-+Antonio+Carlos+Napole%C3%A3o+e+Roberto+Assaf&source=bl&ots=ABQzykiwgu&sig=JG3T1wjm66_UpFv6XLRqJfiQMk4&hl=en&sa=X&ei=kvsPUaHOCY2v0AHhioHoDw&ved=0CEwQ6AEwAw#v=onepage&q=%3A%20Sele%C3%A7%C3%A3o%20Brasileiras%2090%20anos%20-%20Antonio%20Carlos%20Napole%C3%A3o%20e%20Roberto%20Assaf&f=false=3|titulo=Seleção Brasileiras 90 anos|lingua=portugues|acessodata=14 de fevereiro de [[2012]]}}</ref>.
 
==Grupo único==
Utilizador anónimo