Diferenças entre edições de "Lúcio Volúmnio Flama Violente"

1 byte adicionado ,  00h53min de 20 de julho de 2016
 
== Anos finais ==
Em 295 a.C., com poderes proconsulares, Lúcio Volúmnio derrotou os samnitas perto de [[Tiferno]]<ref>[Lívio]], ''[[Ab Urbe condita libri|Ab Urbe condita]]'' X, 30.</ref> enquanto Ápio Cláudio foi convocado a Roma pelo cônsul [[Quinto Fábio Máximo Ruliano]]<ref>[[Lívio]], ''[[Ab Urbe condita libri|Ab Urbe condita]]'' X, 22, 25</ref>. Depois da vitória de Fábio Ruliano e [[Públio Décio Mus (cônsul em 312 a.C.)|Públio Décio Mus]] na [[Batalha de Sentino]]<ref>[[Lívio]], ''[[Ab Urbe condita libri|Ab Urbe condita]]'' X, 31.</ref>. Fábio Ruliano deixou o exército de Décio Mus, que foi morto em combate, para vigiar a [[Etrúria]], onde [[Perúsia]] ainda continuava em guerra, e seguiu para Roma para celebrar um [[triunfo romano|triunfo]]. Ápio Cláudio, que estava em Roma, foi então enviado para assumir o exército de Décio como [[propretor]] enquanto Fábio Ruliano marchou para enfrentar e derrotar os [[perúsios]]. Os samnitas atacaram a região do vale do [[rio Liris]] (em [[Fórmias]] e [[Véscia]]) e do [[rio Volturno]], mas foram perseguidos tanto por Cláudio Cego quanto por Lúcio Volúmnio, que juntaram suas forças e os derrotaram perto de [[Caiatia]], perto de [[Cápua]]<ref>[[Lívio]], ''[[Ab Urbe Condita libri|Ab Urbe Condita]]'' X, 27, 31</ref>.
 
=== {{Âncora|Virginia}}Virgínia ===