Diferenças entre edições de "Voo espacial tripulado"

4 309 bytes adicionados ,  02h09min de 27 de setembro de 2016
sem resumo de edição
 
Há outros aspectos que tornam a estação espacial muito proveitosa. Dali se poderão observar o Sol, os planetas e as estrelas sem a interferência da atmosfera terrestre. Fornecerá meios para medir, como grande precisão, o ambiente espacial próximo da Terra. Servirá de plataforma de onde observa-se a Terra do exterior. Proporcionará um ambiente de vácuo e de baixa temperatura livre das muitas limitações associadas às câmaras de vácuo construídas na Terra.
 
===Exploração Lunar===
Quando se pensa no voo espacial, o aspecto mais apaixonante é que, um dia, ele facultará ao homem a possibilidade de viajar para outros mundos. O Projeto Apolo, que se seguira ao Gemini, teve como missão transportar o homem, numa viagem de ida e volta à Lua. Foi, portanto, a primeira aplicação do voo espacial como transporte. É certo que se trata de um empreendimento modesto, no qual apenas dois homens pousaram na Lua com o equipamento suficiente para lhes permitir passar ali algumas horas. Contudo, quando se considera que a Lua está a cerca de 400.000 km de distância, e que sua direção é ''para cima'', podemos imaginar a dificuldade de uma tal tarefa. A altitude orbital da Lua é mil vezes maior do que a normalmente utilizada pelos veículos orbitais tripulados. O campo gravitacional lunar deve ser vencido por um grande dispêndio de combustível, não apenas durante as manobras de lançamento e partida, mas também durante a aproximação e manobras de pouso. Ao contrário da Terra, a Lua não possui atmosfera. Portanto o empuxo do foguete deve ser usado para diminuir a velocidade e vencer a atração da gravidade lunar à proporção que nos aproximamos daquele astro. Para realizar essas várias manobras, o Apolo deve carregar para a Lua mais de 30 toneladas de combustível propulsor.
 
A Lua tem sido a companheira da Terra desde a época de sua criação. No entanto, a superfície lunar foi submetida a um ambiente diverso. Tal como na Terra, ali também existiram vulcões. Contudo, há muito que cessou o período de atividade vulcânica na Lua, e é possível que o seu interior esteja adormecido há muito tempo. Essa conjectura é apoiada no fato de ser a Lua muito menor do que a Terra. O mais importante no que se refere à superfície da Lua, é que ela foi regulada pelo ambiente espacial, ao mesmo tempo que a da Terra sofria muitas alterações que mascararam as pistas que conduziam às suas origens. Assim, na Lua, poderemos esperar obter fatos sobre duas coisas. Em primeiro lugar, poderemos conhecer melhor a criação do sistema solar, de vez que alguns aspectos desse processo estarão muito melhor conservados na superfície da Lua. Em segundo lugar, encontraremos gravada na superfície lunar a história do ambiente espacial, que será de grande valor para apuração da história do sistema solar.
 
Embora cada voo Apolo proporcionou somente uma curta estrada de dois homens na superfície da Lua, a possibilidade de aumentar a exploração imediatamente após a realização do primeiro pouso, foi feita por três astronautas com sucesso. Enquanto há grupos estudando a aplicação de bases científicas semipermanentes na superfície da Lua, só se pode fazer uma avaliação prática da utilidade e dificuldade desses projetos depois que se obtiverem maiores informações sobre o nosso satélite natural. Embora as espaçonaves não tripuladas possam colher e fornecer uma parte dessas informações, parece aconselhável aguardar as avaliações detalhadas que foram trazidas pelas equipes do Projeto Apolo.
 
A Lua tem sido considerada por alguns como uma útil base militar. Ao mesmo tempo que seria difícil dizer que a Lua não teria nenhuma utilidade como base militar, é evidente a sua inferioridade, quando comparada com outras instalações que poderiam servir ao mesmo objetivo. A manutenção de uma base militar na superfície lunar custaria 50 vezes mais do que a de outra, do mesmo tamanho, colocada numa órbita em torno da Terra. No entanto, a base orbital seria muito mais eficiente sob certos aspectos, e nada perderia na comparação. Além do mais, até mesmo o valor militar de uma base orbital, num futuro próximo, é duvidoso.
 
O voo espacial para a Lua abrirá as considerações sobre a possibilidade da viagem aos planetas mais próximos. Tanto Marte como Vênus estão bastante perto de nós para serem considerados como possíveis alvos de explorações num futuro próximo. Contudo, como o ambiente de Marte é muito menos hostil que o de Vênus, provavelmente será ele o mundo que o homem pisará, depois que foi a Lua. No entanto, Vênus é um planeta muito interessante, e é muito provável que , quando forem possíveis as viagens interplanetárias, seja útil observá-lo de perto.
 
== Ver também ==
21

edições