Diferenças entre edições de "Psique"

1 byte removido ,  12h28min de 28 de janeiro de 2017
sem resumo de edição
(adicionei uma virgula)
{{Ver desambig||Psique (desambiguação)}}
'''Psique''' (do [[grego antigo|grego]] ψυχή, [[translit.]] ''psychḗ'', originalmente "respiração", "sopro", por ψύχω, "eu respiro ")<ref>Alexandre, Charles. ''[http://books.google.com.br/books?id=rPiz7DH_NP8C&pg=PA402&lpg=PA402&dq=%CF%88%CF%85%CF%87%CE%B7%CE%BD++%22Lexique+grec-fran%C3%A7ais%22&source=bl&ots=HiyqXb5310&sig=2oeVgWJtvguEpu1nzR5tTOmEHnw&hl=pt-BR&sa=X&ei=qTNiT-qxBMWqgwe8_pzZAg&ved=0CCAQ6AEwAA#v=onepage&q&f=false Lexique grec-français a l'usage des commençants]''. Paris: [[Hachette]], 1843, p.401.</ref> era, entre os [[Grécia antiga|antigos gregos]], um conceito que definia o ''self'' ("[[si mesmo]]"), abrangendo as idéiasideias modernas de [[alma]], [[ego]], [[mente]] e espírito
 
== Etimologia ==
O termo [[Língua grega|grego]] ''psychein'' ("soprar"), é uma palavra ambígua que significava originalmente "alento" e posteriormente, "sopro". Dado que o alento é uma das características da [[vida]], a expressão "psique" era utilizada como um sinônimo de vida e por fim, como sinônimo de [[alma]], considerada o princípio da vida. A psique seria então a "alma das sombras" por oposição à "alma do corpo".
 
esentadoO termo adquiriu outros significados ao longo do tempo, a exemplo do apresentado na peça ''[[Psyché (peça)|Psyché]]'', de [[Molière]]. Pode-se destacar ainda a versão de [[Jean de La Fontaine]] (1621 — 1695), no romance ''Os Amores de Psique e Cupido'', além das versões clássicas como de [[Apuleio]] (125 - 180), ''Eros e Psique'' (''Metamorfose'': livros IV, V e VI), entre outras.
O termo adquiriu outros significados ao longo do tempo, a exemplo do apr
esentado na peça ''[[Psyché (peça)|Psyché]]'', de [[Molière]]. Pode-se destacar ainda a versão de [[Jean de La Fontaine]] (1621 — 1695), no romance ''Os Amores de Psique e Cupido'', além das versões clássicas como de [[Apuleio]] (125 - 180), ''Eros e Psique'' (''Metamorfose'': livros IV, V e VI), entre outras.
 
Relevante para a [[Wilhelm Reich|psicanálise]] é a versão mítica, utilizada por [[Sigmund Freud]], ao propor a utilização dos termos [[Eros]] e [[Tânato]] em seu livro ''Além do princípio do prazer'' (1922). A [[psicologia]], mesmo inadvertidamente, traz essa carga [[semântica]] à sua [[Subdisciplinas e áreas de atuação da psicologia|definição]].