Abrir menu principal

Alterações

32 bytes adicionados, 20h27min de 25 de março de 2017
* O '''portativo''' (ou portátil) é um órgão pequeno e leve, fácil de transportar. Era de uso corrente no [[século XIV]], especificamente nas procissões, nas quais era transportado pelo próprio músico que tocava (com a mão direita) e accionava o fole (com a mão esquerda) em simultâneo.
* O '''[[realejo]]''', sendo também portátil, era munido de [[palheta livre|palhetas livres]] e não de tubos, pelo que pode ser considerado o antepassado do [[harmônio|harmónio]]. Era de uso corrente nos [[século XVI|sécs. XVI]] e [[século XVII|XVII]].
[[Ficheiro:Kistorgel.JPG|thumb|left|Órgão Positivo]]
*[[Ficheiro:Kistorgel.JPG|thumb|left|200px| Órgão Positivo]]O '''positivo''' ([[etimologia|etimologicamente]], de 'pousar') é um órgão com poucos registos, normalmente sem pedaleira, que, como uma peça de mobiliário, tem a facilidade de ser deslocável no espaço, tanto seja de uma casa, como de uma escola ou de uma igrejas. No espaço litúrgico, muitas vezes servia para o acompanhamento do [[cantochão]]. Na época barroca, como instrumento de baixo contínuo em pequenos conjuntos instrumentais.
* O '''órgão de estudo''' apresenta normalmente uma discrepância (aparentemente injustificada) entre o número de registos (poucos) e o número de secções de que é constituído (muitas). Por outras palavras, não possui um número de registos e famílas que justifique a existência de vários secções. São casos deste tipo, órgãos constituído por vários teclados, em que cada qual tem apenas 1 ou 2 registos, ou normalmente registos de régua alternada. Possuem também uma pedaleira com poucos registos ou até sem registos, chamada '''pedaleira suspensa''', uma vez que se encontra permanentemente acoplada ao(s) teclado(s). No entanto, esta reprodução (supostamente desnecessária) dos recursos de um órgão maior é conseguida para efeitos de estudo.
* O '''órgão de coro''' possui geralmente o formato de um armário, colocado junto ou perto ao lugar do coro, num espaço litúrgico. Com dimensões maiores do que um positivo, dado que não permite a deslocação no espaço como aquele, é direccionado sobretudo para o acompanhamento vocal de solistas e/ou coro, não possuindo registos de solo. Normalmente, recebe este nome, para distinguir do grande-órgão normalmente instalado no coro-alto, enquanto o órgão de coro foi instalado geralmente no transepto ou simplesmente junto ao lugar de um coro perto da assembleia.
* O '''órgão barroco''' é o instrumento típico da época barroca, existente em diversas escolas de organaria nacionais (órgão italiano, órgão barroco francês, órgão ibérico, órgão alemão). Existem, ainda, órgãos ditos ''neo-barrocosneobarrocos'', que, sendo de construção recente, se basearam em modelos antigos ou históriocshistóricos, pretendendo imitar as características técnicas, acústicas e mecãnciasmecânicas de uma determinada escola de organaria antiga.
 
[[File:Tibaes - Orgao.JPG|thumb| Órgão português (dito ibérico) em [[Mosteiro de Tibães|Tibães]]]]
* O '''órgão ibérico''' possui características regionais relativas ao ideário estético da escola de organaria ibérica, cultivado em Portugal e Espanha desde o século XVI. Possuem, normalmente, um único manual (raramente dois) que se encontra dividido em duas seções: baixos e tiples, ou mão esquerda e mão direita. O número de teclas é inferior ao dos órgãos modernos, cifrando-se muitas vezes em 45, 47, 54 notas. Têm, por 'imagem de marca', as chamadas trombetas "em chamada" (dispostas na horizontal). No entanto, alguns musicólogos preferem distinguir entre órgão português e órgão espanhol, considerando as diferenças técnicas e acústicas que entre estes dois tipos existem.
* O '''órgão romântico''', pelos seus recursos sonoros, permite abordagem da literatura organística do [[romantismo|período romântico]] ([[século XIX]]). Dotado de pelo menos uma secção expressiva. Possui, por regra, muitos fundos e poucas aliquotasalíquotas. É rico famílias de cordas e registos harmónicos e octaviantes. Possui, pelo menos, um registo oscilante.
* O ''' órgão sinfónico''' teve o seu auge no primeiro terço do [[século XX]]. Este tipo põe em evidência a índole orquestral de que se munem os grandes-órgãos. [[Camille Saint-Saëns]] compôs uma popular [[sinfonia]] para órgão que é um bom exemplo de como o som de um grande órgão pode ser combinado com o de uma [[orquestra]] sinfónica. No início do século XX, os órgãos sinfónicos floresceram em locais seculares dos E.U.A.[[Estados Unidos]] e do [[Reino Unido]], projectados para substituir orquestras sinfónicas tocando transcrições de peças orquestrais.
 
[[Ficheiro:PrytaniaTheaterOrganDec07.jpg|thumb|200px|left| Órgão de Teatro]]
* O '''órgão de teatro'''/'''cinema''' originalmente desenhado para substituir as orquestras ou conjuntos musicais que acompanhavam os primeiros [[filme mudo|filmes mudos]], difundido em países como [[Reino Unido]], [[Estados Unidos]] e [[Austrália]].