Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 03h00min de 16 de julho de 2017
m
ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações usando script
{{Ver desambig|redir=Cega|prefixo=Se procura|o filme|Blindness|o rio|Rio Cega}}
 
'''Cegueira''' é a condição de falta de [[percepção visual]], devido a fatores [[Fisiologia|fisiológicos]] ou [[Neurologia|neurológicos]]. Várias escalas têm sido desenvolvidas para descrever a extensão da perda de visão e definir a cegueira. '''Cegueira total''' é a completa falta de percepção visual de forma e luz e é clinicamente registrado como NLP, uma abreviação para "no light perception" (sem percepção de luz).<ref name="CIO">{{Citar web |url=http://www.icoph.org/pdf/visualstandardsreport.pdf|título="International Standards: Visual Standards — Aspects and Ranges of Vision Loss with Emphasis on Population Surveys."|data= Abril de 2002 |acessodata= 7 de janeiro de 2012 |publicado=Conselho Internacional de Oftalmologia|língua=en }}</ref> ''Cegueira'' é frequentemente usada para descrever a deficiência visual<ref name="MED">{{citar livro|lastúltimo =Gil|firstprimeiro = Marta|titletítulo=Deficiência visual|url=http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000344.pdf|accessdateacessodata=6 de junho de 2016|yearano=2000|publisherpublicado=Ministério da Educação - Brasil|pagespáginas=79}}</ref> grave, com visão [[wikt:residual|residual]]. Aqueles descritos como tendo apenas percepção de luz têm apenas a capacidade de diferenciar o claro do escuro e a direção de uma fonte de luz.
 
A fim de determinar quais as pessoas podem necessitar de assistência especial por causa de sua deficiência visual, várias jurisdições governamentais formularam definições mais complexas, conhecida como "cegueira legal".<ref name="cegueira legal">{{Citar web |url=http://www.trt14.jus.br/acordao/Set_05/Data28_09/01077.2004.000.14.00-2_RPA.pdf|título= Cegueira Legal|data= Setembro de 2005|acessodata= 7 de janeiro de 2012 |publicado=Tribunal Regional do Trabalho}}</ref> No Brasil, "cegueira legal" é quando uma pessoa tem visão menor que 0,1 ou 20/200 no olho com melhor [[acuidade visual|acuidade]].<ref name="Scielo">{{Citar web |url=http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0004-27492003000700005&script=sci_arttext|título= Alterações oculares na hanseníase, observadas em pacientes ambulatoriais do serviço de referência da cidade de Rio Branco, Acre - Brasil|data= Dezembro de 2003 |acessodata= 7 de janeiro de 2012 |publicado=Scielo}}</ref> Isto significa que um indivíduo legalmente cego teria que ficar a 20 pés (6,1 m) de um objeto para vê-lo —com [[lente oftálmica|lentes oftálmicas]]— com o mesmo grau de clareza de que uma pessoa com visão normal poderia ver a 200 pés (61 m). Em muitos lugares, as pessoas com acuidade média, que, no entanto têm um campo visual inferior a 20 [[Dioptria|graus]] (o normal é 180 graus) também são classificadas como sendo legalmente cegas. Cerca de dez por cento daqueles considerados legalmente cegos, por qualquer medida, não têm visão. O resto tem alguma visão, e percepção de luz, uma acuidade relativamente boa. [[Baixa visão|Visão subnormal]] é por vezes utilizado para descrever acuidade visual de 20/70 a 20/200.<ref name="LowVision">{{Citar web |url=http://www.afb.org/Section.asp?SectionID=26&TopicID=144|título= Living with Low Vision|data= Janeiro de 2002 |acessodata= 7 de janeiro de 2012 |publicado=American Foundation for the Blind|língua=en }}</ref>
 
== Sinais e sintomas ==
A cegueira é definida pela [[Organização Mundial de Saúde]] como visão menor que 20/500 no melhor olho de um pessoa ou campo visual inferior a 10 graus.<ref>{{citecitar journalperiódico|lastúltimo =Maberley|firstprimeiro =DA|coauthorscoautor=Hollands, H, Chuo, J, Tam, G, Konkal, J, Roesch, M, Veselinovic, A, Witzigmann, M, Bassett, K|titletítulo=The prevalence of low vision and blindness in Canada.|journalperiódico=Eye (Londres, Inglaterra)|datedata=Março de 2006|volume=20|issuenúmero=3|pagespáginas=341-6|pmid=15905873}}</ref> Esta definição foi criada em 1972 e há uma discussão em curso sobre se ela deve ser alterada.<ref name="WHO2">{{Citar web |url=http://www.who.int/blindness/Change%20the%20Definition%20of%20Blindness.pdf|título= Change the Definition of Blindness|acessodata= 7 de janeiro de 2012 |publicado= Organização Mundial da Saúde|língua=en }}</ref>
 
Deficiência visual é uma categoria que abrange pessoas cegas e com visão reduzida. Na definição pedagógica, a pessoa é cega, mesmo possuindo visão subnormal, quando necessita da instrução em [[braile]]; a pessoa com visão subnormal pode ler tipos impressos ampliados ou com auxílio de potentes recursos ópticos.<ref name="Livro">{{citar livro|lastúltimo =Caiado|firstprimeiro = Katia Regina M.|titletítulo=Aluno Deficiente Visual na Escola: Lembranças e Depoimentos|url=http://books.google.com.br/books?id=MQNqLBcUa4gC&pg=PA33&lpg=PA33&dq=cego+o+indiv%C3%ADduo+que+apresenta+acuidade+visual+menor+que+0,1&source=bl&ots=zgawg72aQs&sig=jvbDDEbJ9_pbaIXYcyOREtMvyJg&hl=pt-BR&sa=X&ei=9zMKT5uJE4HpgAfH8eSnAg&ved=0CCwQ6AEwAg#v=onepage&q=cego%20o%20indiv%C3%ADduo%20que%20apresenta%20acuidade%20visual%20menor%20que%200%2C1&f=false|accessdateacessodata=8 de janeiro de 2012|yearano=2006|publisherpublicado=Autores Associados|isbn=8574960764|pagespáginas=33}}</ref>
 
A definição clínica define como cego o indivíduo que apresenta acuidade visual menor que 0,1 (com a melhor correção no melhor olho) ou campo visual abaixo de 20 graus; como visão reduzida quem possui acuidade visual de 6/60 e 18/60 (escala métrica) e/ou um campo visual entre 20 e 50 graus, e sua visão não pode ser corrigida por tratamento clínico nem com óculos convencionais.<ref name="Livro"/>
A ligação entre [[pobreza]] e deficiência visual tratável é mais evidente quando se realizam comparações regionais sobre a causa. A maioria dos adultos com deficiência visual na [[América do Norte]] e na [[Europa Ocidental]] tem como causa degeneração macular relacionada à idade e retinopatia diabética. Enquanto ambas as condições estão sujeitos a tratamento, nenhuma delas pode ser curada.
 
Nos países em desenvolvimento, onde as pessoas têm menor expectativa de vida, catarata e parasitas transmitidos pela água —ambas podem ser tratadas eficazmente— são na maioria das vezes os culpados. Em países desenvolvidos, onde doenças parasitárias são menos comuns e cirurgia de catarata é mais disponível, a degeneração macular relacionada à idade, glaucoma e retinopatia diabética são geralmente as principais causas da cegueira.<ref name="Bunce">{{cite journalcitar periódico| last1último1 = Bunce | first1primeiro1 = C | last2último2 = Wormald | first2primeiro2 = R | title título= Leading causes of certification for blindness and partial sight in England & Wales | journal periódico= BMC public health | volume = 6 | pages páginas= 58 | year ano= 2006 | pmid = 16524463 | pmc = 1420283 | doi = 10.1186/1471-2458-6-58 }}</ref>
 
Cegueira infantil pode ser causada por condições relacionadas à gravidez, tais como a síndrome da rubéola congênita e [[retinopatia da prematuridade]].
== Recursos ==
 
Um estudo de 2008 publicado no ''New England Journal of Medicine''<ref>{{Citecitar journalperiódico|authorautor =Bainbridge JW, Smith AJ, Barker SS, ''et al.'' |titletítulo=Effect of gene therapy on visual function in Leber's congenital amaurosis |journalperiódico=N. Engl. J. Med. |volume=358 |issuenúmero=21 |pagespáginas=2231–9 |data=Maio de 2008 |pmid=18441371 |doi=10.1056/NEJMoa0802268 |url=http://content.nejm.org/cgi/content/abstract/NEJMoa0802268}}</ref> testou o efeito do uso de terapia genética para ajudar a restaurar a visão de pacientes com uma forma rara de cegueira hereditária, conhecida como [[Neuropatia óptica hereditária de Leber|Neuropatia óptica de Leber]] ou NOL. A Neuropatia óptica de Leber danifica os receptores de luz na retina e normalmente começa a afetar a visão na infância, com piora da visão até a cegueira completa em torno da idade de 30 anos.
 
O estudo utilizou um vírus comum do resfriado para levar uma versão normal do gene chamado RPE65 diretamente nos olhos dos pacientes acometidos. Notavelmente todos os 3 pacientes com idades de 19, 22 e 25 responderam bem ao tratamento e relataram melhora da visão após o procedimento. Devido à idade dos pacientes e a natureza degenerativa do NOL a melhoria da visão dos pacientes em terapia genética é encorajadora para os investigadores. Espera-se que a terapia genética possa ser ainda mais eficaz em pacientes mais jovens que sofreram perda de visão limitada, bem como em outros indivíduos cegos ou parcialmente cegos.
 
== Epidemiologia ==
A OMS estima que em 2002 havia 161 milhões de pessoas com deficiência visual no mundo (cerca de 2,6% da população total). Deste número 124 milhões (cerca de 2%) tinham baixa visão e 37 milhões (cerca de 0,6%) estavam cegos.<ref name="Livro2">{{citar livro|lastúltimo =da Silva|firstprimeiro = Sheila Miranda|titletítulo=Política Nacional de Saúde da Pessoa Portadora de Deficiência|url=http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_pessoa_deficiencia.pdf|accessdateacessodata=9 de janeiro de 2012|yearano=2008|publisherpublicado=Ministerio da Saude|isbn=8533413998|pagespáginas=15}}</ref> Em ordem de freqüência as principais causas foram catarata, [[Ametropia|erros refrativos]] não corrigidos ([[miopia]]s, [[hipermetropia]]s, ou [[astigmatismo]]s), [[glaucoma]] e [[degeneração macular]] relacionada à idade.<ref name="WHO"/> Em 2000, o número de pessoas cegas no Brasil foi estimado em 0,4 a 0,5% da população, ou seja, 4 a 5 por cada mil. Considerando-se na época a população brasileira de 160 milhões de habitantes, estima-se existirem 640.000 cegos no país.<ref name="Brasil">{{Citar web|url=http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1705987/|título= South American Programme: Brazil|data= 2000 |acessodata= 9 de janeiro de 2012 |publicado= Community Eye Health Journal}}</ref> Em Portugal, no ano de 2008, existiam entre 130 e 140 mil cegos, 1% da população.<ref name="Portugal">{{Citar web|url=http://www.destak.pt/artigo/8511|título= Maioria dos cegos portugueses recusa sair de casa|data= 29 de fevereiro de 2008 |acessodata= 9 de janeiro de 2012 |publicado= [[Destak]] Online}}</ref>
 
== Sociedade e cultura ==
[[Ficheiro:Talpa europaea MHNT Tete.jpg|thumb|200px|Uma toupeira cega]]
 
Declarações de que certas espécies de [[mamíferos]] "nasceram cegas" refere-se a eles nascerem com os olhos fechados e as suas pálpebras se fundirem; os olhos ainda abrem. Um exemplo é o [[coelho]]. Nos seres humanos as pálpebras são fundidas no período que antecede o nascimento, mas são abertas novamente antes da hora do nascimento normal, mas os bebês muito prematuros, às vezes, nascem com os olhos fechados, que se abrem mais tarde. Outros animais como o [[rato-toupeira cego]] são realmente cegos e dependem de outros sentidos.<ref name="Livro3">{{citar livro|lastúltimo =Zimmer|firstprimeiro =Carl|titletítulo=À Beira d'Água: Macroevolução e a transformação da vida|url=http://books.google.com.br/books?id=V74D3HY9284C&pg=PA216&lpg=PA216&dq=rato+toupeira+cego&source=bl&ots=A-VNIHsP6R&sig=1XHamfe5IvOeNpy8DWrjPvwf8Lg&hl=pt-BR&sa=X&ei=0Z0LT_6kJ4boggei2b28Bw&ved=0CDgQ6AEwBA#v=onepage&q=rato%20toupeira%20cego&f=false|accessdateacessodata=9 de janeiro de 2012|yearano=1999|publisherpublicado=Jorge Zahar Editor|isbn=8571104891|pagespáginas=216}}</ref>
 
Animais cegos, em geral incluem [[Noctívago|animais noturnos]] e animais do subterrâneo, mas há outros como o [[Tetra-cego|peixe-cego]], o [[Rhaphidophoridae|grilo-cego]], a [[Eurycea neotenes|salamandra do Texas]] , os [[platelmintos]] camarão sem olhos, peixe sem olhos, o [[besouro-cego]], o [[lagostim]]-cego, e alguns [[artrópodes]], [[isópodos]], [[copépode]]s e [[troglóbio]]s.
210 076

edições