Abrir menu principal

Alterações

81 bytes removidos, 21h43min de 18 de julho de 2017
sem resumo de edição
Para manter a corte da rainha enquanto não lhe doava terras, D. João concedeu-lhe um rendimento originário das rendas da alfândega de Lisboa, estabelecendo também o que as servidoras da rainha receberiam mensalmente. Posteriormente, D. Filipa recebeu os rendimentos das vilas de [[Alenquer (Portugal)|Alenquer]], [[Sintra]], [[Óbidos (Portugal)|Óbidos]], [[Alvaiázere]], [[Torres Novas]] e [[Torres Vedras]].{{harvref|Oliveira|2010|p=413}}
 
D.&nbsp;Filipa seguiu os hábitos que aprendeu na corte inglesa, especialmente no que se refere ao modelo multicultural representado por seu pai. Assim, tentou manter a conexão entre Inglaterra e Portugal, influenciando casamentos entre membros das nobrezas dos dois países.<ref name="M44"/> Além disso, D.&nbsp;Filipa por várias vezes assumiu o exercício do governo representando o marido, uma vez que ele estava frequentemente ocupado em operações militares.{{harvref|Oliveira|2010|p=405}} Ainda em 1387, deslocou-se até [[Monção_(Portugal)|Monção]] com alguns conselheiros e homens da corte, aproximando-se de [[Melgaço_(Portugal)|Melgaço]], onde estava o monarca, para dar cumprimento a algumas disposições régias.{{harvref|Lopes|1897-1898|p=44}} Sempre que pôde, D.&nbsp;Filipa acompanhou o marido, o que seria uma forma de apoiar os seus feitos.{{harvref|Oliveira|2010|p=406}}
 
== Descendência ==
Utilizador anónimo