Abrir menu principal

Alterações

8 bytes removidos, 01h25min de 24 de julho de 2017
m
traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script
[[FileImagem:Diverse torture instruments.jpg|thumb|Instrumentos de tortura]]
'''Tortura''' é a imposição de [[dor]] física ou [[Tortura psicológica|psicológica]] por [[crueldade]], [[intimidação]], [[punição]], para obtenção de uma [[Confissão (direito)|confissão]], [[informação]] ou simplesmente [[Sadismo|por prazer da pessoa que tortura]]. Também tem, como uma definição mais abrangente, "o dano físico e mental deliberado causada pelos [[governo]]s contra os indivíduos para destruir a [[personalidade]] individual e [[terrorismo|aterrorizar]] a sociedade" segundo o [[Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos]].<ref>[http://www.hhs.gov/asl/testify/t990629a.html Statement on Torture and U.S. Foreign Policy]</ref>
== Etimologia ==
O termo "tortura" procede do termo [[Latim|latino]] ''tortura''.<ref>{{cite bookcitar livro| lastúltimo = Holanda| firstprimeiro = Aurélio| title título=Novo Dicionário da Língua Portuguesa | publisher publicado= Nova Fronteira | year ano= 1986| isbn = | location local= Rio de Janeiro | page página= 1 693}}</ref>
==História ==
Durante a maior parte da [[História]], a [[pena capital]] foi, muitas vezes, deliberadamente dolorosa. Dentre as [[Pena (direito)|penas]] mais cruéis, incluem-se a [[roda (pena de morte)|roda]], a [[ebulição]] até a morte, o [[esfolamento]], o [[esventramento]], a [[crucificação]], a [[empalação]], o esmagamento, o [[apedrejamento]], a [[morte na fogueira]], o [[desmembramento]], a [[serração]], o [[escafismo]] e o [[colar (tortura)|colar]] (técnica de [[linchamento]] que consiste em colocar um [[pneu]] em volta do pescoço ou do corpo do supliciado e, em seguida, atear [[fogo]] ao pneu).<ref>[http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,950826,00.html Revenge is the Mother of Invention]</ref> Um exemplo de tortura na [[Grécia Arcaica]] é o história do [[touro de bronze]], proposto para [[Fálaris]], em meados do século [[6 a.C.]]. As [[Cinco Punições]] são um exemplo que vem da [[China Antiga]].
[[Ficheiro:AbuGhraibAbuse-standing-on-box.jpg|thumb|esquerda|[[Abu Ghraib]]: com as mãos e o [[pênis]] amarrados com [[arame]], o prisioneiro toma [[Choque elétrico|choques]] se cair da caixa.]]
 
[[Alfred W. McCoy]], [[Doutorado em filosofia|PhD]] em História pela [[Universidade de Wisconsin-Madison]]<ref>[http://history.wisc.edu/people/faculty/mccoy.htm Biografia- Alfred W. McCoy]. Universidade de Wisconsin {{en}}. Consultado em 29 de agosto de 2009.</ref> e autor do livro ''A Question of Torture: CIA Interrogation from the Cold War to the War on Terror'' (em português, "Uma Questão de Tortura: Interrogatórios da CIA da Guerra Fria à Guerra ao Terrorismo"),<ref>[http://www.abc.net.au/rn/latenightlive/stories/2006/1593534.htm A Question of Torture: CIA Interrogation, From the Cold War to the War on Terror]. Entrevista com W. McCoy {{en}} à ABC Radio National australiana. 16 de Março de 2006. Consultado em 29 de agosto de 2009.</ref> examina a relação entre as pesquisas clandestinas da [[CIA|Agência Central de Inteligência]] (CIA) no Projeto [[MKULTRA]],<ref>[http://www.nytimes.com/packages/pdf/national/13inmate_ProjectMKULTRA.pdf Project MKULTRA, the CIA's program of research in behavioral modification.] US Government Printing Office. Washignton, 1977.</ref><ref>[http://www.michael-robinett.com/declass/c000.htm Declassified MK-Ultra Project Documents]</ref><ref>[http://www.horadopovo.com.br/2003/dezembro/05-12-03/pag6a.htm MKULTRA: CIA Mutila e Assassina Milhares através do 'Controle da Mente'] ''[[Hora do Povo]]'', 5 de dezembro de 2003</ref> as técnicas dos [[Manuais KUBARK]] e as imagens de tortura em [[Abu Ghraib]], descrevendo os resultados obtidos pela CIA em suas pesquisas sobre o que ele chama de "tortura sem contato" ("no-touch", em [[Língua inglesa|inglês]]), ou seja, tortura que não deixa marcas físicas aparentes. Em artigo publicado no jornal ''[[San Francisco Chronicle]]'', de 19 de setembro de 2004, McCoy apresenta uma [[linha do tempo]] sobre a evolução de métodos de "tortura sem contato" e uma análise do uso destas técnicas "sem marcas".
 
McCoy desenvolveu um dos mais detalhados estudos da longa história do envolvimento da CIA em pesquisas sobre tortura. Pesquisador na Universidade de Wisconsin, há 20 anos acompanha as buscas da CIA por métodos de tortura. Ao descrever a relação entre o Projeto MKULTRA e demais pesquisas em controle da mente e os métodos que fazem parte das instruções dos [[Manuais KUBARK]], ele afirma que "as experiências da CIA em tortura nos [[anos 1950]] e início dos [[anos 1960]] foram codificadas em [[1963]], de maneira sucinta, em um manual secreto de instruções sobre tortura – o manual ''KUBARK de Interrogatório de Contrainteligência'', que tornar-se-ia a base para um novo método de tortura disseminado globalmente nas três décadas seguintes."<ref>No original, em inglês: ''The CIA's torture experimentation of the 1950s and early 1960s was codified in 1963 in a succinct, secret instructional booklet on torture - the "KUBARK Counterintelligence Interrogation" manual, which would become the basis for a new method of torture disseminated globally over the next three decades.'' <br /> Transcrito de [http://www.sfgate.com/default/article/The-hidden-history-of-CIA-torture-Abu-Ghraib-is-2724028.php The hidden history of CIA torture: Abu Ghraib is only the newest U.S. atrocity] {{en}}. Por Alfred W. McCoy. [[San Francisco Chronicle]], 19 de setembro de 2004. Consultado em 1° de abril de 2013.</ref>
 
* O filme [[Cativeiro (filme)|Cativeiro]], de 2007, estrelado por [[Elisha Cuthbert]], conta a história de uma modelo que é sequestrada por um fã [[psicopata]] e passa por inúmeras [[terror psicológico|torturas psicológicas]].
 
* O filme [[Estado de Sítio]], de [[Costa-Gravas]], baseia-se nos fatos reais da vida de [[Dan Mitrione]] (no filme, sob nome fictício), incluindo cenas em que um policial dá aulas práticas de tortura com aplicação de choques elétricos, utilizando-se de [[mendigo]]s do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]] e de [[Belo Horizonte]] como [[cobaia]]s.
 
 
== {{#if:|{{ELES|Bibliografia|}}|Bibliografia }} ==
* Diários da Ditadura -Projeto Brasil Nunca Mais – Don Evaristo Arns - cópias de mais de 700 processos dos presos políticos brasileiros do período da ditadura militar, de 1964-1985, reproduzidos dos Arquivos do Superior Tribunal Militar e Supremo Tribunal Federal
* Kolker, Tania - ''Os profissionais da saúde e a tortura nas prisões''
* Jordão, Fernando – Dossiê Herzog: Prisão, tortura e morte no Brasil
{{wikiquote|Tortura}}
{{commons|Torture}}
* [http://detaineetaskforce.org/ Detainee Treatment | Task Force On Detainee Treatment] - Relatório e vídeo - Investigação Independente sobre o Programa de Tortura de [[George Bush]] - Relatório do Grupo de Trabalho sobre Tratamento de Detentos pela [[CIA]] e outros(espanhol) - 7 de outubro de 2013
* KRAMER, Heinrich e SPRENGER, James. [http://www.malleusmaleficarum.org/downloads/MalleusAcrobat.pdf ''Malleus Maleficarum''] ("O Martelo das Feiticeiras"). Tratado de [[1487]], dedicado, em grande parte, às técnicas de extração de confissões mediante tortura, nos interrogatórios de suspeitos de prática de bruxaria.
* [http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/04/arquivos-do-extinto-deops-sao-colocados-na-internet.html Arquivos do extinto Deops são colocados na internet]. Cerca de 1 milhão de páginas do órgão de repressão foram digitalizadas. [[G1]], 1° de abril de 2013.
210 064

edições