Diferenças entre edições de "Estrada de Ferro do Norte"

3 620 bytes adicionados ,  20h21min de 30 de maio de 2018
Retirado redirecionamento e adicionado informações sobre o tópico.
( feito redirecionamento para Estrada de Ferro Central do Brasil)
 
(Retirado redirecionamento e adicionado informações sobre o tópico.)
Etiqueta: Redirecionamento removido
{{Info/Ferrovia
#Redirecionamento [[Estrada de Ferro Central do Brasil]]
| nome = Estrada de Ferro do Norte
| mapa = ‎
| legenda_mapa =
| abreviações = EFN
| local_de_operação = [[Estado de São Paulo]]
| ano_inicial = [[1869]]
| ano_final = [[1896]]
| bitola = [[bitola métrica|1,000 m]]
| frota_locomotivas =
| frota_vagões =
| sede = [[São Paulo]], [[Brasil]]
| sucessora = [[Estrada de Ferro Central do Brasil]]
| antecessora =
}}
A '''Estrada de Ferro do Norte''', também chamada de '''E. F. São Paulo ao Rio de Janeiro''', foi uma ferrovia paulista em [[bitola métrica]], construída pela [[Companhia São Paulo e Rio de Janeiro]], ligando a Estação do Norte (ao lado da [[Estação Brás]] da [[São Paulo Railway]] em [[São Paulo (cidade)|São Paulo]]), até a [[Estação Ferroviária de Cachoeira Paulista|Estação Cachoeira]], em [[Cachoeira Paulista]]), onde em 1877, se encontrou com a [[Estrada de Ferro D. Pedro II]], em [[bitola larga]], mas que com baldeação de composições, podia seguir até o [[Rio de Janeiro]]. Em 1896, o trecho com com 231 km de extensão da E. F. do Norte foi incorporado pela Estrada de Ferro D. Pedro II, com o propósito de alargar a bitola e unificar as duas linhas, no que passaria a ser chamado de Ramal de São Paulo<ref>http://www.estacoesferroviarias.com.br/trens_sp_2/efnorte.htm</ref>.
 
== História ==
Em 1869, foi constituída por fazendeiros do [[ Vale do Paraíba]] a [[Companhia São Paulo e Rio de Janeiro]], para a construção da E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da Estação do Norte, ao lado da [[Estação Brás]] da [[São Paulo Railway]], até a [[Penha (São Paulo)|Penha]], ainda em São Paulo.
 
Seguiu por [[Mogi das Cruzes]] e [[Guararema]] ate atingir o [[Vale do Paraíba]]. A partir de [[Jacareí]], seguiu pela margem esquerda do [[Rio Paraíba do Sul]], passando por [[São José dos Campos]], [[Taubaté]], [[Pindamonhangaba]] e [[Guaratinguetá]]. Em 12/05/1877, chegou até o Porto de Cachoeira, onde com [[bitola métrica]], encontrou-se com a [[Estrada de Ferro Dom Pedro II]], na estação do povoado Santo Antônio da Cachoeira, (atual [[Cachoeira Paulista]]).
 
A E. F. Dom Pedro II, que pertencia ao [[Império do Brasil|Governo Imperial]], utilizava a [[bitola larga]] (1,60m) e a [[Estação Ferroviária de Cachoeira Paulista]] era o fim do ramal que vinha do [[Rio de Janeiro]], partindo do tronco em [[Barra do Piraí]], atingindo Cachoeira no terminal navegável do [[Rio Paraíba do Sul]]<ref>http://www.estacoesferroviarias.com.br/c/cachoeira.htm</ref>.
 
A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. Dali, com baldeação de composições por conta da diferença de bitolas, podiam seguir até o Rio de Janeiro.
 
Em 1889, com a queda do Império, a Estrada de Ferro Dom Pedro II passou a se chamar [[Estrada de Ferro Central do Brasil]].
Na década de 1890, o alto custo dessas baldeações fez com que em 1896, a E. F. Central do Brasil comprasse e incorporasse a já falida E. F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificar as duas linhas no chamado Ramal de São Paulo. O primeiro trecho (Cachoeira- [[Taubaté]]) ficou pronto em 1901 e o trecho todo em 1908.
 
== Ver também ==
#Redirecionamento *[[Estrada de Ferro Central do Brasil]]
 
{{Ferrovias Brasileiras}}
{{Ferrovias do Estado de São Paulo}}
{{Tópicos sobre o Império do Brasil}}
 
[[Categoria:Empresas ferroviárias extintas do Brasil]]
[[Categoria:História do Império do Brasil]]
[[Categoria:História do Brasil Republicano]]
[[Categoria:1877 no Brasil]]
Utilizador anónimo