Abrir menu principal

Alterações

447 bytes adicionados ,  12h29min de 17 de outubro de 2018
sem resumo de edição
Na década de 1920, muitos movimentos operários antifascistas lutaram contra os violentos [[Camisas negras]] e contra a ascensão do líder fascista Benito Mussolini. Depois que o [[Partido Socialista Italiano]] (PSI) assinaram um pacto com o Partido Nacional Fascista, em 3 de Agosto de 1921, e os sindicatos adotaram uma estratégia legalista e de não-agressão. Os membros do movimento dos trabalhadores que não concordaram com esta estratégia formaram o ''Arditi del Popolo''. O [[Partido Comunista Italiano]] (PCI) organizou alguns grupos militantes, mas suas ações foram relativamente pequenas, e o partido manteve uma estratégia legalista não-violenta. O [[anarquista]] italiano [[Severino Di Giovanni]], que se exilou na Argentina após a [[Marcha sobre Roma]] em 1.922, organizou vários atentados contra a comunidade fascista italiana.<ref>{{citar web|url=http://anarchist_century.tripod.com/timeline.html |título=Anarchist Century |publicado=Anarchist_century.tripod.com |data= |acessodata=2014-04-07}}</ref>
 
O liberal antifascista italiano, [[Benedetto Croce]], escreveu o ''Manifesto degli intellettuali antifascisti'', que foi publicado em 1925.<ref>David Ward ''Antifascisms: Cultural Politics in Italy, 1943-1946''</ref> Outro notável liberal antifascista italiano na época foi [[Piero Gobetti]].<ref>James Martin, 'Piero Gobetti's Agonistic Liberalism', ''History of European Ideas'', '''32''', (2006), pp. 205-222.</ref> As forças antifascistas mais relevantes eram associadas ao [[Exército Vermelho]].<ref>Stephen E. Ambrose Americans at War, New York, 1998, p. 72; Clive Ponting, Armageddon: The Second World War, London, 1995, p. 130</ref>
 
== África ==
 
O antifascismo se manifestou mais nas zonas francesa e italiana na luta contra o colonialismo.<ref>Os intelectuais e os democratas franceses perante a Revolução Argelina. In: Em defesa da revolução africana. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, 1980, p. 71-100.</ref><ref>"A Revolução e o Negro", New International , Volume V, dezembro de 1939, pp 339-343. Publicado sob o nome JR Johnson; Transcrito: Ted Crawford.</ref>
 
== Ver também ==