Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho ,  23 fevereiro
 
==[[Feminicídios em Ciudad Juárez|Feminicídios]]==
Nos anos 2000, casos de desaparecimentos e mortes de mulheres jovens na cidade chamaram a atenção de militantes feministas e de direitos humanos na comunidade nacional e internacional. O número crescente de mortes registrado ao longo da década, as similitudes no perfil das vítimas, e a recorrência do modus operandi aplicado aos crimes, levaram a que o conceito de feminicídio fosse retomado, ganhando mais destaque.<ref>{{citar livro|título=Diretrizes Nacionais Feminicídio|ultimo=Brasil|primeiro=ONU Mulheres|editora=|ano=2016|local=Brasília|páginas=130, p. 21|acessodata=}}</ref> De janeiro de 1993 para o ano de 2012, o número estimado de mulheres assassinadas ascendeu para mais de 700.
 
Por parte da população foi acusado de passividade das autoridades locais e nacionais, uma vez que em muitos casos não foi esclarecida a responsabilidade de tais crimes. A [[Corte Interamericana de Direitos Humanos]] chegou a considerar o Estado Mexicano como um dos principais responsáveis por esses atos. Hoje, há várias organizações não-governamentais que prestam apoio a mães e familiares vítimas de [[feminicídio]] como Casa Amiga, Nossas Filhas de Volta para Casa, a Justiça para com as nossas filhas, Rede, Mesa de Mulheres de Ciudad Juárez, entre outras.
6

edições