Diferenças entre edições de "Franz von Papen"

276 bytes adicionados ,  10h55min de 17 de março de 2019
m
um livro, um link
(mais dados, alguns links)
m (um livro, um link)
Foi um político apresentado com um caráter dúbio.
 
Após a Segunda Guerra Mundial, Papen foi julgado em [[Julgamentos de Nuremberg|Nuremberga]], sendo absolvido de todas as acusações. Mais tarde foi sentenciado na Alemanha por um tribunal de [[Desnazificação|desnazificação,]] mas após recurso foi libertado em 1949. <ref>{{citar livro|título=The Rise and Fall of the Third Reich|ultimo=Shirer|primeiro=William L.|editora=Simon and Schuster, Inc.|ano=1959|local=|páginas=1024|acessodata=}}</ref>
 
== Biografia ==
Apesar destes acontecimentos, von Papen serviria o governo nazista como embaixador na [[Primeira República Austríaca|Áustria]] de 1934 a 1938 e na [[Turquia]] de 1939 a 1944. Neste último país protagonizou o maior êxito da espionagem alemã graças a um informador que trabalhava na embaixada britânica, [[Elyesa Bazna]], popularmente conhecido como ''Cicerone''. A sua principal missão era conseguir a neutralidade do governo turco face às manobras dos aliados, trabalho que lhe foi facilitado pelas informações secretas que recebia. Aí conheceu o então [[núncio apostólico]] [[Angelo Roncalli|Angelo Giuseppe Roncalli]] (futuro Papa João XXIII).
 
Von Papen foi capturado pelos aliados depois da guerra e foi um dos acusados nos [[julgamentos de Nuremberga|julgamentos de Nuremberg]], tendo sido absolvido. Após as sentenças, o juiz soviético Nikitschenko expôs a sua opinião divergente, considerando a absolbiçãoabsolvição injustificada, segundo ele porque "lhe corresponde uma grande rewsponsabilidaderesponsabilidade pelos crimes cometidos durante o regime nazi". <ref>{{citar livro|título=O Julgamento de Nuremberga|ultimo=Heydecker|primeiro=Joe|ultimo2=Leeb|primeiro2=Johannes|editora=Círculo de Leitores|ano=1958|local=|páginas=488|acessodata=}}</ref> Contudo, Monsenhor [[Angelo Roncalli|Angelo Roncalli,]] que mais tarde viria ser nomeado Papa João XXIII, afirmou por escrito ao Tribunal de Nuremberga que Von Papen, de quem era amigo. lhe tinha dado a hipótese, na Turquia, de salvar cerca de 24000 judeus.<ref>{{citar web|url=http://www.raoulwallenberg.net/roncalli/articles-11/pope-john-xxiii-jews/|titulo=Pope John XXIII and the Jews|data=20 de Agosto de 2004|acessodata=|publicado=The International Raoul Wallenberg Foundation|ultimo=D’Hippolito|primeiro=Joseph}}</ref> <ref>{{citar web|url=http://www.raoulwallenberg.net/especial/roncalliyadvashem/synopsiscorregida.pdf|titulo=Angelo Roncalli (John XXIII) -Synopsis of Documents|data=Janeiro de 2011|acessodata=|publicado=The International Raoul Wallenberg Foundation|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
[[Imagem:WallerfangenFriedhof 20090601 Papen01 resized.jpg|200px|miniatura|direita|Sepultura de Franz von Papen em Wallerfangen]]
*Larry Eugene Jones: Franz von Papen, the German Center Party, and the Failure of Catholic Conservatism in der Weimar Republic. In: Central European History, Jg. 38 (2005), S. 191–217.
*Richard W. Rolfs: The Sorcerer's Apprentice. The Life of Franz Von Papen. 1996.
*Shirer, William L. - ''The Rise and Fall of the Tihrd Reich -'' 1959, Simon and Schuster, Inc.
*Theodor Eschenburg: Franz von Papen. In: VJZG 1 (1953), S. 153–169.
*Turner, Henry Ashby Hitler's thirty days to power: January 1933, Reading, Mass. : Addison-Wesley, 1996.
3 575

edições