Diferenças entre edições de "História da ciência"

4 bytes adicionados ,  19h18min de 6 de novembro de 2019
m
Foram revertidas as edições de 2804:14C:6181:92F0:B9F7:692E:1BD6:DE96 para a última revisão de Zoldyick, de 02h35min de 23 de setembro de 2019 (UTC)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 2804:14C:6181:92F0:B9F7:692E:1BD6:DE96 para a última revisão de Zoldyick, de 02h35min de 23 de setembro de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
Métodos científicos são considerados como sendo fundamentais para a ciência moderna. Por isso, alguns - especialmente os [[filosofia da ciência|filósofos da ciência]] e cientistas - consideram investigações antigas da natureza como sendo ''pré-científica''. Tradicionalmente, historiadores da ciência têm definido ciência como sendo suficientemente abrangente para incluir essas investigações.<ref>W. C. Dampier Wetham, Science, in ''Encyclopædia Britannica'', 11th ed. (New York: Encyclopædia Britannica, Inc, 1911); M. Clagett, ''Greek Science in Antiquity'' (New York: Collier Books, 1955); D. Pingree, Hellenophilia versus the History of Science, ''Isis'' '''83''', 559 (1982); [[Pat Munday]], entry "History of Science", ''New Dictionary of the History of Ideas'' (Charles Scribner's Sons, 2005).</ref>
 
== Culturas antigaantigas ==
 
Em tempos [[pré-histórico]]s, conselhos e conhecimento eram passados de geração em geração em uma [[tradição oral]]. O desenvolvimento da [[escrita]] permitiu que o conhecimento fosse armazenado e comunicado através das gerações com muito mais fidelidade. Combinado com o [[História da agricultura|desenvolvimento da agricultura]], que permitiu um aumento na reserva de comida, isso tornou possível que as civilizações antigas se desenvolvessem, porque foi possível dedicar mais tempo a outras tarefas que não fossem a sobrevivência.