Diferenças entre edições de "Porfiriato"

Sem alteração do tamanho ,  06h33min de 21 de novembro de 2019
Enquanto Porfírio Diaz reiterou que o país estava pronto para a [[democracia]], ele nunca quis deixar o poder, e em [[1910]] já com 80 anos de idade, candidatou-se à [[reeleição]], que foi rejeitada pelos trabalhadores públicos. Diante deste feito, Francisco I. Madero convocou a rebelião, que surgiu em 20 de novembro daquele ano, e terminou com a entrada triunfal na cidade, derrotando o chamado naquele momento ditador.
 
O estado de [[Chihuahua]] foi o palco principal para a derrota Porfiristas, como [[Pancho Villa]] e [[Pascual Orozco]] ganharam [[Guerrero (Chihuahua)|Ciudad Guerrero]] e [[Mal Paso]], ganhou a batalha de Casas Grandes, [[Chihuahua]] e [[Ciudad Juárez]], fazendo ao sul Emiliano Zapata levou suas tropas de agricultores, ameaçando a capital e a batida na quinta Cuautla. O Regimento de Ouro (batalhão do exército foderalfederal), mas irrelevante para os militares, foram as batalhas que pavimentaram o caminho para a vitória dos [[revolucionário]]s contra a [[ditadura]]. Após ter obtido esses fracassos militares, e outros em termos de negociações, Porfírio Díaz optou por renunciar à presidência e deixou o país em maio de [[1911]].<ref>{{citar web
|url=http://html.rincondelvago.com/educacion-en-la-epoca-de-porfiriato.html |autor= Rincondelvago|título = História da época do porfirismo |língua=espanhol |acessodata=23 de abril de 2010}}</ref>
 
Utilizador anónimo