Diferenças entre edições de "Faraó"

3 bytes adicionados ,  11h41min de 12 de fevereiro de 2020
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 2804:214:81fe:bb17:64ae:784d:210d:a250, com Reversão e avisos
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 2804:214:81fe:bb17:64ae:784d:210d:a250, com Reversão e avisos)
'''Faraó''' era a designação (título) atribuído aos [[rei]]s (com estatuto de [[Divindade|deuses]]) no [[História do Egito|Antigo Egito]]. Tem sua origem imediata do [[latim]] tardio ''Pharăo -onis'', por sua vez do [[língua grega|grego]] Φαραώ e este do [[língua hebraica|hebraico]] ''Par῾ōh'', termo de origem egípcia que significava propriamente "casa elevada", indicando inicialmente o palácio real. O termo, na realidade, não era muito utilizado pelos próprios egípcios. No entanto, devido à inclusão deste título na [[Bíblia]], mais especificamente no livro do "''[[Êxodo]]''", os historiadores modernos adoptaram o vocábulo e generalizaram-no, um equívoco.{{carece de fontes|data=abril de 2017}} Seu adjetivo é o faraônico<ref>{{Citar web |url= http://www.dicionarioweb.com.br/Faraônico/|título=Signficado do adjetivo faraônico|publicado=dicionarioweb.com.br|acessodata=13 de março de 2015 }}</ref>
 
A imagem que o grande público tem, vem, em grande parte, daquela que nos é dada pelas grandes produções cinematograficacinematográficas ([[Peplum|pepluns]]) de [[Hollywood]] - os chamados filmes bíblicos dos [[anos 1950]], nos quais o faraó aparece como um monarca todo poderoso que governa de modo [[absolutismo|absoluto]], rodeado de uma corte de servos e obrigando uma multidão de [[Escravatura|escravos]] a construir monumentos em sua honra - como nos filmes ''[[Land of the Pharaohs]]'' (''A Terra dos Faraós'' de [[Howard Hawks]], 1955) ou em ''[[Os Dez Mandamentos (filme de 1956)|The Ten Commandments]]'' ("Os Dez Mandamentos" de [[Cecil B. DeMille]], 1956).
 
Mas, ainda que muitos dos faraós tenham sido, sem dúvida, [[déspota]]s - a ideia da [[monarquia absoluta]] tem aqui os seus primórdios - a verdade é que este termo abrange uma grande variedade de governantes, de índoles e interesses diversos. Em cerca de três mil anos de tradição faraónica, passaram pelo trono do Egito homens (e algumas mulheres) com aspirações bem diferentes. Desde os misteriosos construtores das [[pirâmide]]s de [[Gizé]], ao poeta místico [[Aquenáton]], passando pelo lendário [[Ramessés II]], encontramos toda uma diversidade de indivíduos que, no seu conjunto, governaram uma das mais influentes civilizações da história por um longo tempo.
37 987

edições