Diferenças entre edições de "Éramos Seis"

150 bytes adicionados ,  20h13min de 29 de fevereiro de 2020
Ajustes
(As personagens não são mencionadas por nome (ver explicações referentes no tópico "Personagens"). Os nomes Dona Maria e Dona Marlene são criações das telenovelas, e este artigo da Wikipédia é referente ao livro.)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Ajustes)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
'''Familiares de Lola:'''
 
'''Mãe de Lola''': mora na cidade de [[Itapetininga]], interior paulista; seu nome não é mencionado, pois ao narrar a história em primeira pessoa, Lola se refere à mãe apenas como ''"mamãe"'' (nas telenovelas baseadas no livro a personagem foi nomeada como ''"Dona Maria"''). É uma doceira viúva, que trabalha fazendo goiabadas em barra e em calda, marmeladas, pessegadas, doces de figos cristalizados, bolos, biscoitos de polvilho, sequilhos, e também sabão, os quais vende em seu próprio domicílio ou por encomendas, inclusive para festinhas; é considerada a melhor doceira de [[Itapetininga]]. A mãe de Lola mora com suas outras duas filhas: as irmãs Clotilde e Olga. Ela morre dois dias após o Natal de 1920 (cinco anos antes de Lola ficar viúva).
 
'''Pai de Lola''': apenas mencionado na história, por já ser falecido quando a história começa; Lola conta que ele morreu logo após ela se casar com Júlio. Por mais de trinta anos foi professor de uma escola rural, e posteriormente diretor, sendo um [[pedagogo]] elogiado. Seu aprendizado teve forte influência na maneira de Lola educar os filhos. Era irmão de tia Emília e tia Elvira.
Da família de Júlio, só aparecem três personagens: a mãe, a irmã Maria, e o tio Inácio.
 
'''Mãe de Júlio''': também viúva, e, assim como a mãe de Lola, não tem seu nome mencionado na história, (narrada em primeira pessoa por Lola), (que se refere à personagem apenas como ''"minha sogra"'' ou ''"a mãe de Júlio"'') - (nas telenovelas baseadas no livro a personagem foi nomeada como ''"Dona Marlene)"''. A mãe de Júlio e sua filha Maria passam uma temporada com a família de Lola em 1920; durante uma visita de Tia Emília, em que ela conhece a mãe de Júlio, a narrativa demonstra, de leve, que, aparentemente, a mãe de Júlio teve outros filhos além dele e de Maria, mas estes não são citados.
 
'''Maria Abílio de Lemos''': é a irmã mais nova de Júlio. É solteira, e reside junto com a mãe em [[Belo Horizonte]] (capital de [[Minas Gerais]]). Lola diz que a cunhada ''"não é bonita, mas é muito atraente"''.
 
'''Tio Inácio''': tio de Júlio que também reside em [[Itapetininga]] e só aparece brevemente no casamento de Olga e Zeca; foinão é dito se ele é irmão do pai ou da mãe de Júlio. Foi por passar férias na casa deste tio em Itapetininga que Júlio (já residente em [[São Paulo]]) conheceu Lola e a pediu em casamento (conforme as recordações narradas por Lola). Tio Inácio é um homem antiquado, que usa palavras em desuso (como chamar farmácia de "botica" e violino de "rabeca"), e, aparentemente, ficou solteiro, pois não se menciona esposa nem filhos, nem mesmo quando ele comparece ao casamento de Olga e Zeca.
 
===Outros membros da família===
378

edições