Diferenças entre edições de "Lista de recordes da Fórmula 1"

sem resumo de edição
(Recorde)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
|
|}
'''Lista dos recordes da Fórmula 1''', desde [[{{anosF1|1950]]}}.
 
== Recordes de construtores ==
|- align="center"
!5
|align="left"|{{CHEb}}/{{DEUb}} [[Sauber Motorsport|Sauber]]<ref>{{nota de rodapé|A equipe Sauber competiu sob nacionalidade suíça entre 1993 e 2005. Entre 2006 e 2009, correu sob tutela da BMW, voltando a correr com o nome original a partir de 2010.</ref>}}
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1993|1993]]–[[Temporada de Fórmula 1 de 2018|2018]]
|465
|- align="center"
!8
|align="left"|{{GBRb}} [[Arrows]]<ref>{{nota de rodapé|A equipe Arrows competiu com o nome Footwork entre 1991 e 1996</ref>.}}
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1978|1978]]–[[Temporada de Fórmula 1 de 2002|2002]]
|394
|- align="center"
!9
|align="left"|{{GBRb}}/{{ITAb}}<ref>{{nota de rodapé|A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001</ref>.}} [[Benetton Formula|Benetton]]
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1986|1986]]-[[Temporada de Fórmula 1 de 2001|2001]]
|260
|- align="center"
!9
| align="left" |{{GBRb}}/{{ITAb}}<ref>A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001</ref> [[Benetton Formula|Benetton]]
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1986|1986]]-[[Temporada de Fórmula 1 de 2001|2001]]
|260
|- align="center"
!8
| align="left" |{{GBRb}}/{{ITAb}}<ref>A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001</ref> [[Benetton Formula|Benetton]]
|{{anosF1|1986}}-{{anosF1|2001}}
|260
|- align="center"
!8
|align="left"|{{GBRb}}/{{ITAb}}<ref>A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001</ref> [[Benetton Formula|Benetton]]
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1986|1986]]-[[Temporada de Fórmula 1 de 2001|2001]]
|260
|- align="center"
!10
|align="left"|{{GBRb}}/{{ITAb}}<ref>A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001</ref> [[Benetton Formula|Benetton]]
|[[Temporada de Fórmula 1 de 1986|1986]]-[[Temporada de Fórmula 1 de 2001|2001]]
|851,5
* Piloto que ficou mais dias como campeão da F-1: [[Michael Schumacher]] (1.813 dias como heptacampeão).
* Pódio mais comum: [[Lewis Hamilton]], [[Sebastian Vettel]] e [[Nico Rosberg]]: 14 (independente de suas posições).
* Mensagem de rádio mais comum após uma corrida: "''GET IN THERE LEWIS!''"
* Piloto com a maior diferença entre temporadas de saída e retorno: [[Jan Lammers]] (10 anos: {{anosF1|1982}}-{{anosF1|1992}}) e [[Luca Badoer]] (10 anos: {{anosF1|1999}}-{{anosF1|2009}}).
* O piloto com o maior número de não-classificações em uma temporada: [[Claudio Langes]] (14 não-largadas em {{anosF1|1990}}).
* [[Chris Amon]] detém o recorde de piloto que dirigiu pelo maior número de construtores diferentes na história da F1: 13 equipes diferentes<ref name="inusitados"/>
* Até a temporada de {{anosF1|2014}}, o piloto de Fórmula 1 com mais GPs disputados sem nenhum pódio havia sido o italiano [[Pierluigi Martini]], que disputou 124 GPs e jamais conseguiu subir ao pódio na categoria. Foi superado pelo alemão [[Adrian Sutil]], que não conseguiu chegar entre os 3 primeiros em 128 corridas disputadas por [[Spyker F1|Spyker]], [[Force India]] e [[Sauber]], agora superado pelo seu compatriota [[Nico Hülkenberg]] no [[Grande Prêmio de Singapura de 2017|GP de Singapura]] em [[17 de setembro]] de [[2017]]. Hülkenberg aumentou esse recorde em [[Temporada de Fórmula 1 de 2019|2019]], com 176 provas disputadas.
* [[Carlos Sainz Jr.]] é o piloto que levou mais tempo para conquistar seu primeiro pódio na F-1: no [[Grande Prêmio do Brasil de 2019|GP do Brasil]] de {{anosF1|2019}} (101º GP do espanhol na categoria), foi promovido para o 3º lugar depois que [[Lewis Hamilton]] foi punido após bater no carro de [[Alexander Albon]]. O recordista anterior era [[Martin Brundle]], que obteve o primeiro pódio na Fórmula 1 em seu 91º GP ([[Grande Prêmio da França de 1992|GP da França]] de {{anosF1|1992}})
* O piloto de Fórmula 1 com mais GPs disputados sem nenhuma vitória foi o italiano [[Andrea de Cesaris]]. Ele disputou 213 GPs e jamais venceu na categoria.
* [[Sergio Pérez]] é o piloto com maior pontuação sem ter vencido na Fórmula 1 (649 pontos.
* Após a mudança na pontuação da F1, em {{anosF1|2010}}, o piloto a obter a maior pontuação numa única temporada (413 pontos) foi o britânico [[Lewis Hamilton]]. Em {{anosF1|2018}}, ele pontuou em 20 provas das 21 após abandonar no {{GP F1| da Áustria ||2018}} por problemas mecânicos.
* [[Alain Prost]] e [[Stirling Moss]] são os únicos tetra-vice-campeões, sendo que o inglês é o único a conseguir o tetra-vice-campeonato de forma consecutiva.
* [[Michael Schumacher]] é o recordista de largadas na primeira fila com 116, sendo 68 no primeiro lugar.
* O piloto italiano [[Teo Fabi]] é o único piloto que obteve a pole mas jamais liderou uma prova. Nas três ocasiões em que obteve a pole, pelas equipes Toleman e Benetton, ele perdeu a liderança ainda na primeira volta dessas corridas.
* O piloto alemão [[Markus Winkelhock]] possui 100% de aproveitamento em corridas lideradas na Fórmula 1, pois disputou um único GP da categoria ([[Grande Prêmio da Europa de 2007|GP da Europa de 2007]], pela [[Spyker F1|Spyker]]).
* [[Michael Schumacher]] é o piloto com mais poles acompanhadas de vitórias: 40
* [[Stirling Moss]] conseguiu pole em 5 equipes diferentes: [[Cooper Car Company|Cooper]], [[Team Lotus|Lotus]], [[Vanwall]], [[Mercedes Grand Prix|Mercedes]] e [[Maserati]]. [[John Surtees]] conseguiu pole em 5 equipes diferentes: Cooper, [[Scuderia Ferrari|Ferrari]], [[Honda Racing F1 Team|Honda]], [[Lola Cars|Lola]] e Lotus. Os 2 foram os únicos a conseguirem esse feito.
* [[Nico Rosberg]] conquistou a pole do [[Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2015]] graças ao primeiro lugar no Q2, pois por motivos de segurança, o Q3 não foi realizado.
* Apenas em {{anosF1|1964}} e {{anosF1|1988}} o vice fez mais pontos do que o campeão. Em {{anosF1|1964}}, [[Graham Hill]] fez 41 pontos, mas devido a regra de descarte dos piores resultados, ele teve que descartar um quinto lugar e com isso ficou com 39 pontos. [[John Surtees]] que foi campeão manteve os seus 40 pontos. Em {{anosF1|1988}}, [[Alain Prost]] fez 105 pontos, mas devido a regra de descarte dos piores resultados, o francês teve que descartar três segundos lugares e com isso ficou com 87 pontos. O campeão [[Ayrton Senna]] fez 94 pontos, mas teve que descartar um quarto e um sexto. E com isso o brasileiro ficou com noventa pontos, mas o suficiente pra conquistar o título da temporada.
* PraPara dar mais emoção a última corrida, a última etapa de {{anosF1|2014}} ([[Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2014 (Fórmula 1)|Abu Dhabi 2014]]) teve a sua pontuação dobrada que poderia definir o título. Muitos criticaram, pois acharam que devido a um azar, o piloto mais regular poderia perder o título. Outros acharam justo, pois a última é sempre especial, pois é a última chance de todos os candidatos ao título e é sempre um momento crucial ou difícil que deixa qualquer piloto nervoso, mas no final, o título ficou com o piloto mais regular da temporada que foi [[Lewis Hamilton]].
* O campeão com a melhor média de voltas na liderança é [[Jim Clark]] em {{anosF1|1963}}. 506 voltas na frente (71,47%), num total de 708 voltas disputadas naquele ano.
* [[Denny Hulme]] em {{anosF1|1967}} e [[Niki Lauda]] em {{anosF1|1984}} foram campeões sem nenhuma pole position.
* Os únicos campeões com apenas uma vitória foram [[Mike Hawthorn]] em {{anosF1|1958}} e [[Keke Rosberg]] em {{anosF1|1982}}. A temporada de 1982 chegou a ter 11 vencedores diferentes em 16 corridas.
* {{anosF1|1982}} foi o ano mais trágico da Ferrari (os 2 pilotos que iniciaram a temporada não completaram a competição. - [[Gilles Villeneuve]] morreu e [[Didier Pironi]] sofreu lesão nas duas pernas no fim do ano).
* Em toda a história da Fórmula 1, 8 pilotos tiveram o privilégio de conquistar um dos 3 maiores recordes (campeonatos, vitórias e pole positions). O italiano [[Alberto Ascari]] (todos), o argentino [[Juan Manuel Fangio]] (todos), os escoceses [[Jim Clark]] (vitórias e poles) e [[Jackie Stewart]] (vitórias), o francês [[Alain Prost]] (vitórias), o brasileiro [[Ayrton Senna]] (poles), o alemão [[Michael Schumacher]] (todos) e o inglês [[Lewis Hamilton]] (poles).
* [[Graham Hill]] é o único piloto a ter conquistado a chamada "Tríplice Coroa" do automobilismo: o [[Grande Prêmio de Mônaco]], as [[24 Horas de Le Mans]] e as [[500 Milhas de Indianápolis]].
*Nas 500 Milhas de Indianápolis (que entre 1950 e 1960 contavam para o Mundial de Fórmula 1) de 1956 23 carros de uma mesma construtora (Kurtis Kraft) disputaram a prova.
*Nas 500 Milhas de Indianápolis (que entre 1950 e 1960 contavam para o Mundial de Fórmula 1) de 1956 12 carros com o mesmo chassi (Kurtis Kraft 500 C) disputaram a prova.
*Uma curiosidade foi que o construtor [[Moore (automobilismo)|Moore]] (responsável por fabricar chassis para equipes que disputavam as 500 Milhas de Indianápolis ao disputar a edição de 1950 com sua própria equipe) utilizou, além de seu próprio chassi, um chassi da Deidt e um da Lesovsky.
*Até o último GP da Temporadatemporada de 2019 (GP de Abu Dhabi) 22788 carros no total alinharam no grid nos 1018 GP's,o que dá uma média de 22,39 carros por GP.Se considerarmos a participação dos carros de Fórmula 2 nos Grandes Prêmios da Alemanha de 1957 e 1958 e do Marrocos de 1958 esse número sobe para 22816 e a média de carros por GP para 22,41.
*O Grande Prêmio com maior número de carros foi o Grande Prêmio da Alemanha de 1953 com 34 carros alinhando no grid. Já o com menos carros foi o Grande Prêmio da Argentina de 1958 com 10 carros participantes (Obs: O Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2005 teve apenas 6 carros alinhando no grid, porém devido à uma retirada voluntária por questão de segurança, já que os pneus da fabricante Michelin, que equipavam os demais 14 carros, estavam apresentando um desgaste excessivo que podia levar ao estouro numa das curvas de maior velocidade do circuito, o que acabou acontecendo durante o treino classificatório com [[Ralf Schumacher]], da equipe Toyota).
*A porcentagem dos pilotos do grid que pontuam atualmente é de 50%, já que são 20 pilotos e até o décimo colocado marca ponto, a média de percentual histórico dos pilotos do grid que pontuam é de 30,81%,já se contarmos a participação dos carros de Fórmula 2 nos Grandes Prêmios da Alemanha de 1957 e 1958 e do Marrocos de 1958 essa média passa a ser de 30,75%.
 
20 966

edições