Diferenças entre edições de "Assis Chateaubriand"

m
sem resumo de edição
m
|prêmios ={{nowrap|[[Prêmio Maria Moors Cabot]] (1945)}}
}}
'''Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello''', mais conhecido como '''Assis Chateaubriand''' ou '''Chatô''' ([[Umbuzeiro (Paraíba)|Umbuzeiro]], [[4 de outubro]] de [[1892]] — [[São Paulo]], [[4 de abril]] de [[1968]]), foi um [[jornalista]], [[escritor]], [[advogado]], [[professor]] de [[direito]], [[empresário]], [[mecenato|mecenas]] e [[político]] [[brasil]]eiro. Destacou-se como um dos homens públicos mais influentes do Brasil entre as décadas de 1940 e 1960.<ref>[http{{Citar web |url=https://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u774assis-chateaubriand.jhtmhtm UOL|titulo=Assis EducaçãoChateaubriand (biografias)|acessodata=2021-04-04 |website=educacao.uol.com.br Assis Chateaubriand]|lingua=pt-br}}</ref><ref>[http://www.e-biografias.net/biografias/francisco_chateaubriand.php E-biografias.net – Francisco Chateaubriand]</ref><ref>[{{Citar web |ultimo=Cultural |primeiro=Instituto Itaú |url=http://wwwenciclopedia.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseactionp=artistas_biografia&cd_verbete8207 |titulo=3176&cd_idioma=28555Enciclopédia Itaú Cultural |acessodata=2021-04-04 |website=Enciclopédia Itaú AssisCultural Chateaubriand]|lingua=pt-br}}</ref><ref>[http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgipchave=Assis+Chateaubriand&tipo=simples&estante=%28todas+estantes%29&alvo=autor+ou+titulo Estante Virtual – livros escritos por Chateaubriand]</ref> Era membro da [[Academia Brasileira de Letras]].<ref>[http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=273&sid=336 ABL – Biografia de Assis Chateaubriand]</ref>
 
Chateaubriand foi um magnata das comunicações no Brasil entre o final dos anos 1930 e início dos anos 1960, dono dos [[Diários Associados]], que foi o maior conglomerado de mídia da América Latina, que em seu auge contou com mais de cem jornais, emissoras de rádio e TV, revistas e agência telegráfica. Também é conhecido como o cocriador e fundador, em 1947, do [[Museu de Arte de São Paulo]] (MASP), junto com [[Pietro Maria Bardi]], e ainda como o responsável pela chegada da televisão ao Brasil, inaugurando em 1950 a primeira emissora de TV do país, a [[Rede Tupi|TV Tupi]]. Foi Senador da República entre 1952 e 1957.<ref>[http://www.senado.gov.br/sf/SENADORES/senadores_biografia.asp?codparl=1658&li=38&lcab=1946-1951&lf=39 Senado Federal – Senador Assis Chateaubriand]</ref>
 
Figura polêmica e controversa, odiado e temido, Chateaubriand já foi chamado de [[Cidadão Kane]] brasileiro,<ref>{{pdf}} [http://www.facom.ufjf.br/projetos/2sem_2001/pdf/ALima.pdf Assis Chateaubriand e Sílvio Santos: patrimônios da imprensa nacional] – LIMA, Ana Paula Pereira. Faculdade de Comunicação (Facom) da UFJF (Univ. Federal de Juiz de Fora), 2001. (ver pág. 8)</ref><ref>[http://www.diariosassociados.com.br/home/conteudo.php?co_pagina=45&co_menu=2&PHPSESSID=f4fd18f4e498f85ba7f9df96dd7a0331 Diários Associados (Memória) – Assis Chateaubriand] (2008)</ref> e acusado de falta de ética por chantagear empresas<ref>REICHEL, H. J [https://revistas.fflch.usp.br/anphlac/article/download/1381/1252 Sob os olhos da águia: imagens da Argentina peronista na imprensa brasileira dos primeiros anos da Guerra Fria (1946-1955).] Acesso em: 5 out. 2017.</ref> <ref>[http{{Citar web |url=https://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u774assis-chateaubriand.jhtmhtm http://|titulo=Assis Chateaubriand |acessodata=2021-04-04 |website=educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u774.jhtm] UOL Educação (op.cit.)|lingua=pt-br}}</ref> que não anunciavam em seus veículos e por insultar empresários com mentiras, como o industrial [[Francisco Matarazzo Júnior|Francisco Matarazzo Jr]].<ref>[http{{Citar web |url=https://www.terraistoe.com.br/istoe/biblioteca/brasileiro/comunicacao/indice.htm Revista|titulo=ISTOÉ IstoIndependente É|acessodata=2021-04-04 |website=ISTOÉ "OIndependente brasileiro do século" (categoria Comunicação, 2º lugar)]|lingua=pt-BR}}</ref><ref>[http://www.terra.com.br/dinheironaweb/122/assis_chateaubriand.htm Revista Dinheiro Online – Jagunço da notícia: Assis Chateaubriand] Edição 122, 29 dez. 1999.</ref> Seu império teria sido construído com base em interesses e compromissos políticos,<ref>[http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/Chateaub.html Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) – biografias – Chateaubriand]</ref> incluindo uma proximidade tumultuada porém rentosa<ref>REICHEL, H. J [https://revistas.fflch.usp.br/anphlac/article/download/1381/1252 Sob os olhos da águia: imagens da Argentina peronista na imprensa brasileira dos primeiros anos da Guerra Fria (1946-1955).] Acesso em: 5 out. 2017.</ref> com o Presidente [[Getúlio Vargas]].<ref>[http://www.terra.com.br/dinheironaweb/122/assis_chateaubriand.htm http://www.terra.com.br/dinheironaweb/122/assis_chateaubriand.htm] Revista Dinheiro (op.cit.)</ref>
 
==Biografia==
Chateaubriand casou-se uma vez apenas, com Maria Henriqueta Barroso do Amaral, filha do juiz [[Zózimo Barrozo do Amaral|Zózimo Barroso do Amaral]], com quem teve Fernando. Além dele teve dois filhos: Gilberto e Teresa.<ref>[http://www.museudatv.com.br/biografias/Assis%20Chateaubriand.htm Chateaubriand:casamento]</ref> Em 1934, desquitou-se e uniu-se a uma jovem de nome Corita, com quem teve uma filha, Teresa. Chatô sequestrou a própria filha, assumindo a paternidade e, com o apoio de Getúlio Vargas, obteve o [[Poder familiar|pátrio poder]].
 
As relações de Chatô, especialmente com os filhos, são conturbadas e repletas de grandes conflitos e separações radicais.<ref>[{{Citar web |url=http://www.obcom.nap.usp.br/?q=biografia/13162 Biografia]|titulo=Obcom USP : Home |acessodata=2021-04-04 |website=www.obcom.nap.usp.br}}</ref>
 
=== Carreira ===
Foi um dos homens mais influentes do Brasil nas décadas de 1940 e de 1950 em vários campos da sociedade brasileira. Assis Chateaubriand criou e dirigiu a maior cadeia de imprensa do país, os [[Diários Associados]]: 34 jornais, 36 emissoras de rádio, 18 estações de televisão, uma agência de notícias, uma revista semanal (''[[Revista O Cruzeiro|O Cruzeiro]]''), uma mensal (''[[A Cigarra]]''), várias revistas infantis (iniciada com a publicação da [[revista em quadrinhos]] [[O Guri]] em [[1940]]), e a editora [[O Cruzeiro (editora)|O Cruzeiro]].<ref>[[Gonçalo Junior]] [[Editora Companhia das Letras]], [[A Guerra dos Gibis - a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964]], 2004.{{ISBN|8535905820}}</ref>
 
Deixou os Diários Associados para um grupo de vinte e dois funcionários, atualmente liderados por Álvaro Teixeira da Costa. O Condomínio Acionário das Emissoras e Diários Associados é, conjuntamente, o terceiro maior grupo de comunicações do país. Tendo como carro chefe cinco jornais em grandes cidades do Brasil, líderes em suas respectivas praças (dos quinze que ainda restam).
O Condomínio Acionário das Emissoras e Diários Associados é, conjuntamente, o terceiro maior grupo de comunicações do país. Tendo como carro chefe cinco jornais em grandes cidades do Brasil, líderes em suas respectivas praças (dos quinze que ainda restam).
 
A 23 de abril de 1960, foi agraciado com o grau de Grã-Cruz da [[Ordem Militar de Cristo]], de Portugal.<ref name="OHnp">{{citar web |url=http://www.ordens.presidencia.pt/?idc=154 |título=Entidades Estrangeiras Agraciadas com Ordens Portuguesas|autor=|data=|publicado=Presidência da República Portuguesa|acessodata=2021-03-11 |notas=Resultado da busca de "Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo".}}</ref>
 
===Projetos culturais===
Já em 1927 Assis Chateaubriand idealizava uma casa de pintura e escultura “para formar o interesse de nossa gente pelas artes plásticas”, segundo o próprio jornalista. Para tanto, iniciou naquele ano a coleta de itens de arte, apoiado por [[Frederico Barata]] e [[Eliseu Visconti]], em cujo ateliê da Av. Mem de Sá, no Rio de Janeiro, eram armazenadas as primeiras peças que iriam compor o acervo do futuro museu. Além de outras doações, Assis Chateaubriand receberia do próprio [[Visconti]] quatro telas de sua autoria, além do apoio e ajuda para o empreendimento, o que o levou a incluir o artista, junto com [[Frederico Barata]], na linha dos projetistas do futuro museu.<ref name="Artes Plásticas - Museu de Arte Assis Chateaubriand">{{Citar web |url=http://memoria.bn.br/DocReaderdocreader/DocReader.aspx?bib=110523_06/&pagfis=73377 |titulo=O Jornal (RJ) - 1960 a 1974 - DocReader Web |acessodata=2021-04-04 |website=memoria.bn.br}}</ref>
 
Em [[1941]], promoveu a ''[[Campanha nacional da aviação]]'', com o lema "Deem asas ao Brasil", na qual foi criada a maioria dos atuais [[aeroclube]]s pelo interior do Brasil, juntamente com [[Joaquim Pedro Salgado Filho]], então [[Ministério da Guerra (Brasil)|Ministro da Guerra]] do governo Vargas.<ref name="Dêem Asas ao Brasil">http{{Citar web |url=https://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u774assis-chateaubriand.jhtmhtm |titulo=Assis Chateaubriand |acessodata=2021-04-04 |website=educacao.uol.com.br |lingua=pt-br}}</ref> Com o suicídio de Getúlio Vargas, assume a cadeira 37 da [[Academia Brasileira de Letras]].
 
Funda o [[Museu de Arte de São Paulo]] (MASP) em 1947, com uma coleção particular de pinturas de grandes mestres europeus que ele adquiriu a preços de ocasião na Europa empobrecida do pós-[[Segunda Guerra Mundial]] (em aquisições por vezes financiadas à base de chantagem de empresários brasileiros), coleção esta que o presidente [[Juscelino Kubitschek]] havia tido o bom senso de, durante seu governo, colocar sob a gestão de uma fundação, em troca de auxílio governamental ao pagamento de parte da astronômica dívida do Condomínio Associado.