Abrir menu principal

Alterações

44 bytes adicionados ,  03h44min de 20 de maio de 2007
m
sem resumo de edição
'''Gaius Sollius Modestus Sidonius Apollinaris''' (c. [[430]]-c. [[480]]), poeta, diplomata, bispo, é "o autor individual sobrevivente mais importante da [[Gália]] do quinto século" de acordo com Eric Goldberg.
 
Ele nasceuNasceu em [[Lugdunum]], a moderna [[Lyon]], por volta de 430. Era de descendência nobre, com seu paí e avô sendo cristãos e prefeitos do pretório da Gália. Casou-se por volta de [[452]] com Papianilla, filha de [[Avito]], que era então cônsul e depois foi proclamado [[lista de imperadores romanos|imperador romano]] do Ocidente em [[455]], que ergueu no Fórum de Trajano uma estátua de seu genro e deu-lhe o título de conde. Em [[457]], ele caiu nas mão de [[Majoriano]], que havia privado Avito do império e tomado a cidade de Lyon. A reputação de seu conhecimento levou Majoriano a tratá-lo com imenso respeito. Em troca Apolinário compôs um panegírico em sua honra (que ele havia feito previamente para Avito). Em [[467]] o imperador [[Antêmio]] o recompesou pelo panegírico que ele havia escrito em sua honra elevando-o ao posto de prefeito urbano de [[Roma]], e em seguida à dignidade de patrício e senador. Em [[472]], mais por sua habilidades políticas que teológicas, ele foi escolhido para suceder Epárquio no bispado de Arverni (hoje [[Clermont-Ferrand]]). A maior parte dos detentores prévios do posto foram feitos santos da [[Igreja Católica Romana]], inclusive seu recente predecessor, São Namácio (bispo 446-462), que iniciou as fundações de uma catedral adequada. Sidônio Apolinário não era um homem religioso; sua eleição foi provavelmente devido mais aos seus contatos influentes, e aos seus incansáveis esforços na preservação de seu pedaço da Gália para o [[Império Romano]].
 
Em [[457]], caiu nas mão de [[Majoriano]], que havia privado Avito do império e tomado a cidade de Lyon. A reputação de seu conhecimento levou Majoriano a tratá-lo com imenso respeito. Em troca Apolinário compôs um panegírico em sua honra (que ele havia feito previamente para Avito). Em [[467]] o imperador [[Antêmio]] o recompesou pelo panegírico que ele havia escrito em sua honra elevando-o ao posto de prefeito urbano de [[Roma]], e em seguida à dignidade de patrício e senador.
 
Em [[472]], mais por sua habilidades políticas que teológicas, ele foi escolhido para suceder Epárquio no bispado de Arverni ([[Clermont-Ferrand]]). A maior parte dos detentores prévios do posto foram feitos santos da [[Igreja Católica Romana]], inclusive seu recente predecessor, [[São Namácio]] (bispo 446-462), que iniciou as fundações de uma catedral adequada. Sidônio Apolinário não era um homem religioso; sua eleição foi provavelmente devido mais aos seus contatos influentes, e aos seus incansáveis esforços na preservação de seu pedaço da Gália para o [[Império Romano]].
 
{{biografias}}
 
[[Categoria:Bispos católicos da França]]
 
 
[[ca:Sidoni Apol·linar]]
9 499

edições