Angélica Viana Porto: diferenças entre revisões

1 byte adicionado ,  17h14min de 2 de novembro de 2021
m
sem resumo de edição
m (→‎Ativismo: Correcção ortográfica, hiperligações e galeria)
m
 
Um ano depois, em [[1908]], como militante da [[Liga Republicana das Mulheres Portuguesas]] (LRMP), participou ativamente nas ações de protesto, petições e conferências do movimento feminino e feminista republicano, reivindicando o [[Sufrágio feminino|direito ao voto para as mulheres]], a lei do [[divórcio]], o acesso ao ensino e às profissões vedadas ao sexo feminino, a [[Igualdade de género|igualdade salarial entre géneros]] ou ainda a igualdade jurídica no casal. Posteriormente, durante a [[Primeira República Portuguesa]], entre [[1914]] e [[1918]], fez parte de várias delegações femininas, angariou novos membros e donativos, respondeu a [[Plebiscito|plebiscitos]] e desempenhou vários cargos na direção da LRMP, assinado a representação dirigida ao governo de [[Sidónio Pais]], onde apelava uma vez mais ao direito ao voto para as mulheres. Ainda dentro do âmbito da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, em [[1917]] assumiu o cargo de diretora do jornal ''[[A Madrugada]]'', ao lado de [[Filipa de Oliveira]] e [[Luísa de Almeida]].<ref>{{Citar livro|url=https://books.google.pt/books?id=i1naAAAAMAAJ&pg=PA73&dq=ang%C3%A9lica+viana+porto&hl=pt-PT&sa=X&ved=2ahUKEwir__aOiejyAhXZA2MBHS_RDxkQ6AEwAnoECAoQAg|título=El movimiento feminista portugués: del despertar republicano a la exclusión salazarista, 1909-1947|ultimo=García|primeiro=Rosa María Ballesteros|data=2001|editora=Universidad de Málaga|lingua=es}}</ref><ref>{{Citar livro|url=https://books.google.pt/books?id=6xq3AAAAIAAJ&q=ang%C3%A9lica+viana+porto&dq=ang%C3%A9lica+viana+porto&hl=pt-PT&sa=X&ved=2ahUKEwir__aOiejyAhXZA2MBHS_RDxkQ6AEwAHoECAYQAg|título=A Liga Republicana das Mulheres Portugueses: uma organização política e feminista (1909-1919)|ultimo=Esteves|primeiro=João Gomes|data=1991|editora=Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres|lingua=pt-BR}}</ref>
[[Ficheiro:Congresso Feminista Lisboa 1928.jpg|miniaturadaimagem|260x260px|Sessão de abertura do II Congresso Feminista e de Educação, realizado em Lisboa em 1928. (Da direitaesquerda para a esquerdadireita: Angélica Viana Porto, Elisa Soriano, Beatriz Magalhães, Adelaide Cabete e Maria Leonarda Correia da Costa).]]
Aderindo ao [[Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas]] (CNMP), a partir de [[1919]], colaborou na revista ''[[Alma Feminina]]'', órgão oficial de imprensa do movimento, dirigido então por [[Maria Clara Correia Alves]] e posteriormente por [[Adelaide Cabete]] e [[Elina Júlia Chaves Pereira Guimarães|Elina Guimarães]], tendo ainda desempenhado os cargos de Secretária do Interior (1920), Vogal da Comissão Diretora das Ligas de Bondade (1921-1923), Vice-Presidente da Direção (1929, 1931-1934, 1936), Presidente-Honorária (1937) e Presidente da Comissão Moral (1922-1929, 1931-1934, 1936). Como [[Orador|oradora]], participou no Primeiro e Segundo Congresso Feminista e de Educação, organizado pelo CNMP, em Lisboa, onde apresentou as teses “''Assistência às delinquentes''” (1924), “''Memória da Secção de Moral do Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas''” (1926), “''A acção moral do trabalho''” (1928) e “''A valorização do trabalho feminino''” (1929).<ref>{{Citar web |url=https://portal.arquivos.pt/record?id=oai:www.ahsocial.ics.ulisboa.pt:_2416&s=%27CnVfH%27 |titulo=Assistência às delinquentes / Angélica Porto. - Lisboa : Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas, 1924 |data=1924 |acessodata= |website=Portal Português de Arquivos}}</ref><ref>{{Citar livro|url=https://www.academia.edu/924842/A_Mulher_na_Hist%C3%B3ria_Actas_do_Col%C3%B3quio_sobre_a_tem%C3%A1tica_da_Mulher|título=A Mulher na História. Actas do Colóquio sobre a temática da Mulher|ultimo=Silva|primeiro=Manuela Santos}}</ref>[https://run.unl.pt/bitstream/10362/39940/1/As_mulheres_no_movimento_mutualista_em_Portugal.pdf]
 
1 317

edições