Abrir menu principal
Espiga Pinto
Nascimento 1940
Vila Viçosa
Morte 1 de outubro de 2014
Nacionalidade Portugal portuguesa
Área Artes plásticas
Sem título, 1971, acrílico sobre tela, diâmetro 120 cm

José Manuel Espiga Pinto (Vila Viçosa, 1940 — 1 de outubro de 2014) foi um artista plástico português.

Pertence à terceira geração de artistas modernistas portugueses[1]. Repartiu a sua atividade por diversas áreas, da pintura e desenho à escultura, medalhística, etc.[2]

Biografia / ObraEditar

Frequentou a Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Recebeu uma Bolsa de Especialização em Pintura da Fundação Calouste Gulbenkian que lhe permitiu viajar pela Europa entre 1973 e 1974 (os seus itinerários por cidades como Paris, Munique ou Estocolmo ficaram amplamente documentados nos relatórios então enviados ao Serviço de Belas-Artes dessa Fundação).[2] [3] [4] [5]

Expôs individualmente pela primeira vez em 1958 (Galeria Pórtico), tendo realizado múltiplas mostras individuais desde essa data. Participou em diversas exposições coletivas, entre as quais: II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, 1961; Arte Portuguesa Contemporânea, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, 1976; etc. Foi professor na Escola Industrial e Comercial de Estremoz e, de 1979 a 1987, no IADE (Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing, Lisboa). Foi autor de um grande painel para o edifício-sede da Fundação Calouste Gulbenkian e do cenário para o ballet Dulcineia (F. Calouste Gulbenkian, 1971). Está representado no Museu do Chiado, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, e noutras coleções, públicas e privadas. [2][3][4][5]

Referências

  1. França, José AugustoA arte em Portugal no século XX [1974]. Lisboa: Bertrand Editora, 1991, p. 409
  2. a b c «Espiga Pinto – Nota biográfica». São Mamede, Galeria de Arte. Consultado em 15 de setembro de 2013 
  3. a b A.A.V.V. – Arte Portuguesa Contemporânea, (Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro) Lisboa: Secretaria de Estado da Cultura; Fundação Calouste Gulbenkian, 1976
  4. a b A.A.V.V. – II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1961
  5. a b A.A.V.V. – 50 Anos de Arte Portuguesa. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007, pág. 167.ISBN 978-972-678-043-4
  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.