Abrir menu principal

Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira

estádio de futebol no Brasil
Francisco Ribeiro Nogueira (Nogueirão)
Estádio Francisco Ribeiro Nogueira
Reinauguração da Arena Nogueirão.jpg

Nomes
Nome Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira
Apelido Nogueirão
Antigos nomes Estádio Cavalheiro Nami Jafet
Características
Local Rua Cavaleiro Nani Jafet, 1100 - Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 14.384 espectadores
Construção
Data 1995
Inauguração
Data 31 de maio de 1995 (inauguração)
20 de setembro de 2015 (reinauguração)
Partida inaugural Santos 1 x 1 União Mogi
(Amistoso)
Recordes
Público recorde 20.543 pessoas
Data recorde 30 de setembro de 1995
Partida com mais público Corinthians 0 x 1 Juventude (RS)
(Campeonato Brasileiro)
Outras informações
Remodelado 2014, 2015
Proprietário Prefeitura Municipal
Administrador Secretaria Municipal de Esportes
Mandante União de Mogi e Atlético Mogi

O Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira, conhecido também pelo apelido Nogueirão, é um estádio brasileiro de futebol que foi inaugurado no dia 30 de setembro de 1995. Ele está localizado na cidade de Mogi das Cruzes, no estado de São Paulo.

Índice

HistóriaEditar

OrigemEditar

O local aonde está localizado o estádio foi adquirido pela empresa Mineração Geral do Brasil em 1942 para a construção de uma usina siderúrgica. Uma área com 2 milhões de m² recebeu a unidade da empresa, um conjunto de 550 moradias para funcionários e um campo de futebol.

A praça esportiva foi administrada pelo Esporte Clube Mineração Geral do Brasil, agremiação ligada a empresa e que reuniu os trabalhadores para as práticas de esportes e lazer. Na presidência de Jamil Harage, a partir de 1957, o clube transformou o local em um centro esportivo, com a instalação de outras estruturas esportivas, como pista de atletismo. Com isso, o local recebeu o nome de Estádio Cavalheiro Nami Jafet. [1]

As dificuldades financeiras da Mineração Geral do Brasil levou a siderúrgica a entrar em concordata em 1965. Por intervenção do governo federal do Brasil, a empresa passou por intervenção e foi incorporada a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), empresa estatal, em 1967, no regime de comodato.

No ano seguinte foi criada a Cosim (Companhia Siderúrgica de Mogi das Cruzes) para gerir a usina e gerir todo o patrimônio da antiga Mineração Geral do Brasil. Entre eles, o centro esportivo.

Porém, a Cosim é incorporada em 1973 pela Siderbrás (Siderurgia Brasileira), holding estatal que integrou várias companhias siderúrgicas nos estados brasileiros, dentro de uma estratégia de efetivação do segmento no país. [2] Com esta medida, o estádio Nami Jafet foi municipalizado e incorporado ao patrimônio público da Prefeitura de Mogi das Cruzes.

Grande ReformaEditar

O antigo estádio foi demolido e uma nova estrutura foi construída na mesma área em 1995 por parte da Prefeitura local. [3]A inauguração do estádio aconteceu no dia 31 de maio, que recebeu em homenagem o nome do ex-prefeito de Mogi das Cruzes, Francisco Ribeiro Nogueira, que faleceu no dia 26 de maio de 1994, durante a sua gestão frente a administração municipal. [4]

 
Estádio antes da reforma.

MelhoriasEditar

Em vistas da Copa do Mundo do Brasil em 2014, a Prefeitura de Mogi das Cruzes interditou o estádio para uma ampla reforma no local. Mas atrasos fizeram com que o prazo da conclusão das obras fosse estipulado para setembro de 2015. Com isso, União de Mogi e Atlético Mogi ficaram sem seu estádio-sede e não tiveram condições de participar do Campeonato Paulista de Futebol da Segunda Divisão. [5]

Ao todo, o estádio recebeu investimento de R$ 7 milhões, o que resultou em troca do gramado, mudança no sistema de irrigação e implantação de drenagem, reforma em vestiários, implantação de minicampo para aquecimento, sala de fisioterapia e expansão de estrutura para imprensa. No dia 20 de setembro, o Nogueirão foi reinaugurado. [6]

Referências

  1. «Hallage sai em defesa do Estádio Nami Jafet». O Diário de Mogi. 19 de setembro de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. «Os anos 50, a época das consolidações». Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. 21 de março de 2010. Consultado em 20 de setembro de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  3. Gerson Lourenço (13 de janeiro de 2015). «Golpe final». O Diário de Mogi. Consultado em 20 de setembro de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  4. «Deputado Constituinte Francisco Nogueira». Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Consultado em 20 de setembro de 2015 
  5. «Mogi fica sem times no Paulista da 2ª Divisão». Diário de Mogi. 12 de fevereiro de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2015 [ligação inativa]
  6. «Nogueirão reabre com três duelos». Diário de Mogi. 20 de setembro de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 

Ligações externasEditar