Abrir menu principal
Estádio da Tapadinha
Estadio-da-tapadinha 001.jpg

Nomes
Nome Estádio da Tapadinha
Antigos nomes Campo da Tapadinha
Características
Local Alcântara, Lisboa
Portugal Portugal
Gramado Relva (natural) (105 x 68 m)
Capacidade 4000
Construção
Data 1926
Inauguração
Data 27 de junho de 1926 (93 anos)
Partida inaugural Carcavelinhos 3-4 Sporting
Outras informações
Remodelado 1945
Proprietário Atlético

O Estádio da Tapadinha é um estádio de futebol localizado na freguesia de Alcântara, cidade de Lisboa, em Portugal.

InauguraçãoEditar

Em 1925 o Carcavelinhos contava com o Benfica para emprestar o seu campo de jogos. Porém, nesse ano, a Direcção do Benfica avisou que esse seria o último ano de cedência, e que após o final da época o Carcavelinhos teria que procurar outro campo.

É então que a direcção do Carcavelinhos decide avançar para a construção de um campo próprio, que ficaria situado junto à pedreira do Alvito, em Alcântara.

António Faustino concebeu o Campo da Tapadinha, auxiliado nos trabalhos por Sousa Lino e Rodrigues Graça. A construção do campo ficou a cargo dos sócios e atletas do Carcavelinhos, sendo inaugurado a 26 de Junho de 1926. O jogo inaugural foi entre o Carcavelinhos e o Sporting, e terminou com uma vitória dos «leões» por 4-3. O primeiro golo foi da autoria de Carlos Domingues, avançado do Carcavelinhos.[1]

Aumento das bancadas: O Estádio da TapadinhaEditar

A ideia da transformação do Campo da Tapadinha foi posta à respectiva direcção pelo seu presidente, Joaquim de Paiva e Silva, numa reunião efectuada a 14 de Fevereiro de 1944. O Programa das obras foi aceite por unanimidade, bem como a proposta para a eventual compra do terreno.

A direcção que aprovou o ante-projecto das obras elaborado pelo Eng.º Manuel Travassos Valdez, era assim constituída: Joaquim de Paiva e Silva, Tenente Alcino Pires, Alfredo Viçoso Carlos Casanova, João do Carmo Miguel, António J. Marques e Franklin Marques.

Para auxiliar o estudo e a elaboração do projecto, foi constituída uma comissão, da qual faziam parte Joaquim de Paiva e Silva, Jaime Franco, Dr. Hermano Leite, Joaquim Nobre, Álvaro Cardoso, Amaral de Almeida, Armando Esteves e Álvaro de Azevedo. O ante-projecto foi apresentado à imprensa, numa reunião efectuada na Secretaria do Clube, a 28 de Abril de 1944.

O cumprimento integral do projecto importava, na altura, 2500 contos, estando incluído mais 10 degraus nas bancadas dos sócios e da geral, piscina, cobertura da central, patinagem, etc.

O primitivo projecto deu entrada na Câmara Municipal de Lisboa a 17 de Outubro de 1944, sendo mais tarde retirado por conveniência da ampliação concebida, para reentrar com carácter definitivo a 9 de Maio de 1945.

O arrelvamento do campo iniciou-se a 3 de Setembro de 1945. Só o arrelvamento, cujos trabalhos foram confiados ao Eng.º Agrónomo João Marques de Almeida, importou em cerca de 150 contos.

As obras, excluindo o arrelvamento, começaram a 5 de Julho de 1945.

A comissão Executiva das Obras, eleita em 6 de Março de 1945, era constituída pelos Srs. Joaquim de Paiva e Silva, Joaquim Nobre e Álvaro Cardoso, este director de campo. A construção foi confiada ao autor do projecto – Eng.º Travassos Valdez.

A inauguração do Estádio da Tapadinha realizou-se em 23 de Setembro de 1945, com a presença do Chefe de Estado, o Marechal Óscar Carmona. Disputou-se um particular entre o Atlético e o Sporting, que terminou com a vitória dos verde-e-brancos por seis bolas a zero.

A sua capacidade chegou até aos 10000 lugares, estando neste momento reduzido aos 4000, fruto do fecho de uma das bancadas e do peão.[2]

 
Foto panorâmica do Estádio da Tapadinha

Referências

  1. de Sousa Lino, Alberto (1 de Junho de 1950). «A construção do Campo da Tapadinha». Lisboa. Alcântara Desportiva 
  2. Lima de Almeida, Ventura (Maio de 1953). «Notas sobre o Estádio da Tapadinha». Lisboa. O ATLÉTICO