Abrir menu principal

Eton College

Colégio interno na Inglaterra
Eton College
Etoncollegearms.svg
Eton College: o pátio do canhão.
Informação
Localização Eton, Berkshire
 Inglaterra
Abertura 1440
Diretor(a) Tony Little
Número de estudantes 1300
Página oficial http://www.etoncollege.com/
Eton College: o quadrângulo.
Eton College: capela.

Eton College comumente conhecido apenas como Eton e fundado sob o nome de King's College of Our Lady of Eton beside Windsor é uma escola interna para garotos, fundada em 1440 por Henrique VI da Inglaterra (privada e independente). Educa mais de 1.300 alunos, com idades entre 13 e 18 anos. Embora seja chamada escola pública, no Reino Unido tal nomenclatura refere-se predominantemente a escola particular.

Eton College localiza-se em Eton, Berkshire (tradicionalmente parte de Buckinghamshire), perto de Windsor, Inglaterra, apenas uma milha ao norte do Castelo de Windsor. É uma das nove originais public schools inglesas que foram definidas pelo Ato de Escolas Públicas de 1868.

Tem uma longa lista de alunos e ex-alunos famosos, incluindo 19 ex-primeiro-ministros britânicos, os dois atuais príncipes do Reino Unido, o herdeiro do trono britânico, príncipe William e o seu irmão príncipe Harry, o ator, ganhador do Oscar 2015, Eddie Redmayne também é um ex-aluno.

A escola é membro do Grupo Eton de escolas independentes no Reino Unido, e seu diretor, Anthony R M Little, é um membro da Conferência de Diretores e Diretoras.

Eton é sinônimo do elitismo britânico, com anuidades que beiram as 35.000 libras esterlinas (cerca de 41000 euros ou 155000 reais brasileiros).

HistóriaEditar

Eton College foi fundada em 1440 pelo rei Henrique VI, como uma escola de caridade para proporcionar educação gratuita para setenta estudantes pobres que então iriam para o King's College, uma faculdade constituinte da Universidade de Cambridge, fundada também pelo rei em 1441. Henrique pegou metade dos letrados e o diretor de Winchester College, fundada por William de Wykeham em 1382. Eton é modelada a partir de Winchester e tornou-se popular no século XVII.

Quando Henrique VI fundou a escola, assegurou-lhe um grande número de dotações, incluindo uma valiosa propriedade, um projeto para edifícios formidáveis (Henrique queria que a nave da capela de Eton fosse a mais longa de toda a Europa) e muitas relíquias religiosas. Ele inclusive persuadiu o então Papa a conceder privilégios jamais vistos em qualquer lugar da Inglaterra: o direito de outorgar indultos a penitentes no Festival de Assunção.

Entretanto, quando Henrique VI foi deposto por Eduardo IV em 1461, o sucessor anulou todas as concessões à escola e transferiu a maioria de seus tesouros para a Capela de St. George, no outro lado do rio Tâmisa. Uma lenda conta que Jane Shore, amante de Eduardo, interveio para salvar a escola, mas o legado real e o apoio eram muito reduzidos. A construção da Capela, que originalmente pretendia ter dezessete ou dezoito tramos (hoje só há oito), foi interrompida quando Henrique foi deposto, e apenas o coro estava completo. O anterior diretor de Winchester College, William Waynflete, então construiu a ante-capela, a qual termina a Capela hoje.

Como a escola teve sua receita reduzida enquanto uma boa parte dela ainda estava em construção, dependeu da generosidade de ricos benfeitores para sua conclusão e progresso. Muitos desses doadores foram honrados quando os prédios da escola receberam seus nomes. A torre central de Eton, que é considerada sua imagem mais famosa, recebeu o nome de Roger Lupton.

No século XIX, o arquiteto John Shaw Jr. (1803–70) projetou novas partes do colégio, que proporcionaram melhor acomodação para os estudantes.

CuriosidadesEditar

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.