Euphorbia cotinifolia

Leiteiro-vermelho (Euphorbia cotinifolia) é um arbusto de folhas largas vermelhas nativo do México e da América do Sul. Se cultivada como um arbusto, atinge de 3,0 a 4,6 metros, mas também pode ser cultivada como uma árvore e atingir 9,1 metros. Pequenas flores brancas com brácteas de cor creme florescem nas extremidades dos galhos no verão. As hastes arroxeadas, quando quebradas, soltam uma toxina leitosa que pode causar irritação e queimaduras na pele.[1][2]

Euphorbia cotinifolia
Starr 071024-9990 Euphorbia cotinifolia.jpg
Classificação científica edit
Reino: Plantae
Clado: Tracheophytes
Clado: Angiospermas
Clado: Eudicots
Clado: Rosids
Ordem: Malpighiales
Família: Euphorbiaceae
Gênero: Euphorbia
Espécies:
E. cotinifolia
Nome binomial
Euphorbia cotinifolia

Seu nome científico vem das palavras continus, que significa "Árvore do fumo" e folia que significa "folha".[3] Outros nomes populares incluem Árvore-de-cobre, Barrabás, Figueirinha-roxa.

Folhagem colorida e flor.
Fruto.

ToxicidadeEditar

A espécie é bastante conhecida na América Central, onde sua seiva venenosa tem sido usada como remédio e como veneno. Para remédio tem sido usada em remédios populares como substância emética e catártica. Sabe-se que pescadores adicionam a seiva à água em áreas de pesca para atordoar os peixes e forçá-los a flutuar até o topo. Também foi historicamente usada como um veneno para pontas de flechas pelos nativos de Curaçao.[4]

Se sua seiva leitosa entrar em contato com a pele ou os olhos pode provocar alergias, irritações e queimaduras.[5] Da mesma forma, a planta é bastante perigosa quando ingerida, provocando salivação, vômitos, náuseas e irritações gastrointestinais.[4]

JardinagemEditar

Apesar de sua toxicidade, o Leiteiro-vermelho é comumente cultivado como planta ornamental em jardins e vasos, principalmente por causa de suas folhas elípticas coloridas e diferentes que ficam verdes, laranja cobre, roxas e vermelhas. Prefere um local com solo bem drenado e pleno sol. Embora seja relativamente resistente, não reage bem a ventania e geada forte.[6]

Referências

  1. Nelson, Lewis S.; Shih, Richard D.; Balick, Michael J. (2007). Handbook of Poisonous and Injurious Plants 2nd ed. [S.l.]: Springer. p. 162. ISBN 9780387338170 
  2. «Características e cultivo do Leiteiro-vermelho». PlantaSonya 
  3. «Euphorbia cotinifolia». Missouri Botanical Garden 
  4. a b Clay, Horace F.; Hubbard, James C.; Golt, Rick (1987). Tropical Shrubs Paper. [S.l.]: University of Hawaii Press. p. 72. ISBN 9780824811280 
  5. Nelson, Lewis S.; Shih, Richard D.; Balick, Michael J. (2007). Handbook of Poisonous and Injurious Plants 2nd ed. [S.l.]: Springer. p. 162. ISBN 9780387338170 
  6. Weissich, Paul R.; Rauch, Fred D. (2000). Plants for tropical landscapes: a gardener's guide. Honolulu: University of Hawai'i Press. 50 páginas. ISBN 978-0-8248-2034-3