Eurobeat

gênero musical

Eurobeat é um gênero musical que surgiu na Europa em meados dos anos 80, caracterizado por um ritmo muito alto e acelerado, variando de 138 a 185 BPM, com grande ênfase na melodia e por geralmente conter letras simples, extravagantes e, às vezes, sem sentido. Além disso, existe duas formas principais de eurobeat: o primeiro é o British Eurobeat, uma variante britânica do gênero em forma de Euro disco (esse tipo é vendido apenas no Japão).[2] O segundo é o Contemporary Eurobeat, uma variante mais conhecida e popular do gênero que surgiu na Itália no final dos anos 80, que combina elementos da Hi-NRG e Música bubblegum em forma de Italo disco.[3] Ambas as formas foram desenvolvidas na década de 1980.

Eurobeat
Origens estilísticas Italo disco - Hi-NRG[1] - Euro disco - Jpop - Bubblegum pop
Contexto cultural British Eurobeat: meados da década de 1980, Reino Unido.
Contemporary Eurobeat: final da década de 1980, Itália e Japão.
Instrumentos típicos Sintetizadorcaixa de ritmossequenciadorguitarra eléctrica
Popularidade Alta (Parte do continente asiático, principalmente no Japão)
Formas regionais
Itália - Reino Unido - Japão

Depois que o anime Initial D começou a ser exibido em 1998 com uma trilha sonora composta principalmente por eurobeat, o gênero começou a ganhar popularidade com as comunidades otaku internacionais, com canções como "Running in the 90's", "Night of Fire" e "Take Me Higher" se tornando bem conhecidas na internet no início dos anos 2000.[4] O gênero ganhou popularidade adicional no exterior por meio de sua associação com jogos de danças, como Dance Dance Revolution e Beatmania.

Referências

  1. «"I got really sick working with them during the making of the Mad, Bad album. I got really, really sick." [...] The Stock Aitken Waterman team was reportedly quite firm about adhering to their production methods and concepts, which Burns said was a major source of friction. "We would butt heads so fucking badly; it was unbelievable. That's why we eventually walked away from them. For instance, there was a lyric from 'Something in My House' [from the follow-up album, Mad, Bad and Dangerous to Know] where I make a reference to a 'wicked queen.' The actual producer, Mike Stock, stopped me and said I couldn't use the term because it would mean the record is about gay people. I was like, 'Fuck this; it's going on!' They actually wiped the original vocal, but then Pete Waterman came back and said, 'Let [Burns] do it the way he wants to.' There you go."». Consultado em 23 de março de 2021 
  2. «"Eurorecords had to have immediate cross-national appeal, musical simplicity was of the essence- a bouncy beat, just one chorus hook, elementary lyrics. The fun of these records was entirely a matter of sound quality, but once a record was a hit it took on a kind of sleazy, nostalgic charm of its own. It was precisely the brazen utility of these records, in short, that gave them gay disco consumer appeal too.[...] Eurodisco also had an obvious element of camp -British club audiences took delight in the very gap between the grand gestures of Eurosingers and the vacuity of their songs".». Consultado em 23 de março de 2021 
  3. «Eurobeat». TV Tropes. Consultado em 28 de maio de 2021 
  4. «Eurobeat - Music Genres - Rate Your Music». https://rateyourmusic.com. Consultado em 23 de março de 2021 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.