Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura por carro, veja Facelift (automóvel).
Disambig grey.svg Nota: Se procura por lift facial, veja Ritidectomia.
Facelift
Álbum de estúdio de Alice in Chains
Lançamento 21 de Agosto de 1990[1]
Gravação Dezembro,1989 - Abril,1990 no
London Bridge Studio, Seattle
Capitol Recording Studio, Hollywood
Mixado no Sound Castle, Los Angeles[2]
Gênero(s)
Duração 53 min 54 s
Formato(s) CD, Vinil, Cassete
Gravadora(s) Columbia Records
Produção Dave Jerden
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Alice in Chains
We Die Young
(1990)
Sap
(1991)
Singles de Facelift
  1. "We Die Young"
    Lançamento: Julho 1990
  2. "Man in the Box"
    Lançamento: 1991
  3. "Sea of Sorrow"
    Lançamento: 1991
  4. "Bleed the Freak"
    Lançamento: 1992

Facelift é o álbum de estreia da banda de rock americana Alice in Chains, após eles assinarem contrato com a gravadora Columbia Records, em 1989. Foi lançado em 21 de agosto de 1990 e emplacou a banda ao sucesso antes mesmo de bandas como o Nirvana e Pearl Jam popularizarem o som de Seattle pelo mundo.[1] Facelift foi um marco e está entre os principais discos do movimento grunge, formado por canções cheias de significado latente de emoções e sentimentos, unidos ao instrumental e vozes tão característicos da banda. As faixas "We Die Young", "Man in the Box", "Sea of Sorrow" e "Bleed the Freak" foram lançadas como singles. "Man In The Box" foi indicada ao Prêmio Grammy de Melhor Performance Hard Rock com Vocais em 1992.[3] Facelift foi o primeiro álbum do movimento grunge a ganhar disco de ouro, sendo depois certificado dupla platina pela RIAA, vendendo 2 milhões de cópias nos Estados Unidos e cerca de 3 milhões de cópias por todo o mundo.[4]

Índice

AntecedentesEditar

Após sua formação em 1987 sob um som glam rock e passado por modificações quanto ao nome e posteriormente o enfoque da banda, o Alice in Chains já possuía uma base de fãs em Seattle, Washington, e com o crescente interesse de gravadoras pela cena local após bandas como Soundgarden e Mother Love Bone terem assinado contrato, o Alice in Chains logo chamou a atenção.

Em 1989, o grupo entrava em estúdio a fim de gravar seu primeiro álbum, a ser lançado de forma independente. Durante as gravações, foram abordados pelas empresárias Susan Silver e Kelly Curtis que prometeram que consiguiriam suprir as intenções da banda em assinar contrato com uma grande gravadora. Vários representantes de gravadoras vieram a um concerto da banda em que o vocalista Layne Staley os espantou, exceto um: Nick Terzo, da Columbia Records. Pouco depois a banda assinava com a gravadora e entrava em estúdio para gravar seu álbum de estreia.

Promoção e lançamentoEditar

O título original do álbum era "Gash", que encontrou recusa por parte da gravadora. Então, foi escolhido o nome "Facelift" devido ao fato de muitas das canções escritas pelo Alice in Chains anteriores a gravação do álbum terem sido excluídas no estúdio e sucedidas por canções que se distinguiam drasticamente em estilo àquelas originalmente planejadas para o álbum.[5]

Arte da capaEditar

Em uma entrevista da época, Jerry Cantrell comentou que o conceito original para a arte de capa era de um embrião, representando o nascimento da banda com seu primeiro álbum, mas a idéia foi deixada de lado.[6] Um embrião seria anos mais tarde a capa para a primeira coletânea da banda, Nothing Safe: The Best of the Box (1999).

RecepçãoEditar

Facelift foi o primeiro álbum grunge a chegar ao Top 50 nos Estados Unidos, e o segundo (após Louder Than Love do Soundgarden) a chegar ao número 1 no Heatseekers, graças principalmente aos hits "We Die Young" e "Man in the Box".

FaixasEditar

  1. "We Die Young" (Cantrell) – 2:32
  2. "Man in the Box" (Staley/Cantrell) – 4:46
  3. "Sea of Sorrow" (Cantrell) – 5:49
  4. "Bleed the Freak" (Cantrell) – 4:01
  5. "I Can't Remember" (Staley/Cantrell) – 3:42
  6. "Love, Hate, Love" (Staley/Cantrell) – 6:26
  7. "It Ain't Like That" (Cantrell/Starr/Kinney) – 4:37
  8. "Sunshine" (Cantrell) – 4:44
  9. "Put You Down" (Cantrell) – 3:16
  10. "Confusion" (Staley/Cantrell/Starr) – 5:44
  11. "I Know Somethin' ('Bout You)" (Cantrell) – 4:21
  12. "Real Thing" (Cantrell/Staley) – 4:03

OuttakesEditar

  • "Killing Yourself" (incluída no single EP "We Die Young")

CréditosEditar

BandaEditar

Técnico de ProduçãoEditar

  • Dave Jerden - produção, gravação e mixagem[2]
  • Peter Fletcher - gerência de produto
  • Kelly Curtis - gerência
  • Susan Silver - gerência
  • Nick Terzo - A&R

Posições nas paradasEditar

ÁlbumEditar

Ano Parada Posição
1991 Billboard Heatseekers 1
1991 Billboard Top 200 42

SinglesEditar

Ano Single Parada Posição
1992 "Man in the Box" Mainstream Rock Tracks 18
1992 "Sea of Sorrow" Mainstream Rock Tracks 27

Referências

  1. a b «Alice in Chains' Facelift: 25 Album Facts». VH1. 21 de agosto de 2015. Consultado em 20 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2017 
  2. a b Alice in Chains Recording Session Chronology. Again! An Alice In Chains Home Page. Retirado em 27 de Julho de 2007.
  3. «The Grammy Nominations». Los Angeles Times. 9 de janeiro de 1992 
  4. «Recording Industry Association of America». RIAA 
  5. Sharpe-Young, Garry. ALICE IN CHAINS | Unique, Detailed Biography. MusicMight. Retirado em 27 de Julho de 2007.
  6. Alice in Chains - Video Sheet Metal 10-29-91. YouTube (04/08/07). Retirado em 21 de Agosto de 2007.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um álbum de Alice in Chains é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.