Abrir menu principal

Fanatismo

Fanatismo político
(Redirecionado de Fanático)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde agosto de 2015). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Disambig grey.svg Nota: "Fanático" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Fanático (desambiguação).


Uma pintura de Mykola Pymonenko (1899) que documenta um evento na Ucrânia sobre o qual o artista lê: uma mulher judaica sendo atacada por membros de sua comunidade por se apaixonar por um cristão convertido.

Fanatismo (do francês "fanatisme") é o estado psicológico de fervor excessivo, irracional e persistente por qualquer coisa ou tema, historicamente associado a motivações de natureza religiosa ou política. É extremamente frequente em paranoides, cuja apaixonada adesão a uma causa pode avizinhar-se do delírio.

Em Psicologia, os fanáticos são descritos como indivíduos dotados das seguintes características:

1. Agressividade excessiva ;
2. Preconceitos variados;
3. Estreiteza mental;
4. Extrema credulidade quanto a um determinado "sistema"
5. Ódio;
6. Sistema subjetivo de valores;
7. Intenso individualismo;
8. Demora excessivamente prolongada em determinada situação/circunstância.

O apego e cultivo, mesmo quando desmesurado, por determinados gostos e práticas (como costuma ocorrer com colecionadores de selos, revistas, etc) não configura, necessariamente, fanatismo. Para tanto, faz-se preciso que a conduta da pessoa seja marcada pelo radicalismo e por absoluta intolerância para com todos os que não compartilhem suas predileções.

De um modo geral, o fanático tem uma visão-de-mundo unilateral, rígida, cultivando a dicotomia bem/mal, onde o mal reside naquilo e naqueles que contrariam seu modo de pensar, levando-o a adotar condutas irracionais e agressivas que podem, inclusive, chegar a extremos perigosos, como o recurso à violência para impor seu ponto de vista.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • Cruz, M. Tolerancia o barbarie. Barcelona: Gedisa,1998
  • FANTINI, J. A. Aquarela da Intolerância: Racialização e Políticas de Igualdade no Brasil. In: Revista Leitura Flutuante. Em: http://revistas.pucsp.br/index.php/leituraflutuante/article/view/11130
  • Mackellar, J. Fans, fanatics or just good fun - travel behaviours of the leisure fanatic. Journal of Vacation Marketing,2006

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Definições no Wikcionário
  Citações no Wikiquote
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.