Abrir menu principal

Fatela

freguesia do Fundão, Portugal
Portugal Portugal Fatela 
  Freguesia  
Fatela está localizado em: Portugal Continental
Fatela
Localização de Fatela em Portugal
Coordenadas 40° 09' 25" N 7° 25' 51" O
País Portugal Portugal
Concelho FND1.png Fundão
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente José Augusto Rocha Fians (G.C.E.)
Área
- Total 11,27 km²
População (2016[1])
 - Total 536
    • Densidade 47,6 hab./km²
Código postal 6230
Orago São João Baptista

Fatela é uma freguesia portuguesa do concelho do Fundão, com 11,27 km² de área e 536 habitantes (2016). A sua densidade populacional é de 47,6 hab/km².

Fez parte do concelho de Sortelha até à sua extinção em 1855.[2]

Localização no Concelho de Fundão

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Fatela [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011 2016
1 095 1 282 1 473 1 569 1 558 1 532 1 876 2 151 2 214 2 255 1 592 1 255 633 549 564 536

Com lugares desta freguesia foi criada pela Lei n.º 80/89, de 29 de Agosto, a freguesia de Enxames (Fonte: INE)

O Toponímico da FatelaEditar

Ao que parece é palavra árabe e significa vitória de Alá.

Os árabes invadiram a Península Ibérica em 711 da nossa Era, destruíram a Covilhã e bateram-se possivelmente aqui, daí talvez a palavra.

Na sua língua, bem diferente da nossa, a palavra que nomeia Deus é Alá.

A Enciclopédia Verbo diz-nos que «A antiga freguesia era vigararia da apresentação dos Condes de Atouguia e passou, depois de 1759, para o Comendador local – Conde de Povolide – no termo da antiga vila da Covilhã. Beneficiou do foral manuelino à vila de Sortelha em 1-6-1510».(Vigararia era uma povoação pastoreada por um vigário o qual desempenhava funções fiscais em lugar de outrem) e a grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira acrescenta que fazem parte desta freguesia os lugares da Palhaça e dos Enxames.

Edifícios ReligiososEditar

Possui a Fatela, em 1978, a Igreja Matriz, a Capela do Mártir S. Sebastião, a Capela do Divino Espírito Santo, a Capela da Senhora da Conceição, um nicho na Carreira dedicada ao Senhor dos Aflitos, e, de construção recente, uma Capela do anjo da Guarda.

Dignos de menção são ainda o Campanário e o Cruzeiro de Vila Pouca.

Actividades EconómicasEditar

As actividades económicas praticadas na Fatela são a Agricultura, indústrias de ferro e de alumínio, comércio e sobretudo o sector da construção

Festas e RomariasEditar

  • Mártir São Sebastião (Domingo Magro);
  • Espírito Santo (7 semanas após a Páscoa);
  • Anjo da Guarda (2º Domingo de Agosto)

GastronomiaEditar

Ensopado de borrego, arroz-doce e botelha de leite.

ColectividadesEditar

  • União Desportiva e Recreativa Os Fatelenses
  • Rancho Folclórico de Fatela
  • Grupo de Danças e Cantares da Fatela
  • Grupo de Bombos da Fatela
  • Clube Caça e Pesca da Fatela
  • Grupo de Bombos "Os Arrelia"

Rancho Folclórico da FatelaEditar

A fundação deste rancho data de 1977, e nasceu com a categoria de rancho infantil e foi de um cortejo da festa local do Espírito Santo. Após a fundação do rancho seguiram-se inúmeras exibições em público. Ainda neste primeiro ano, e num concurso realizado numa das maiores e mais tradicionais romarias da região, este rancho foi distinguido com o honroso primeiro lugar. Desde então começou a partir daí a envergar a "Espiga" distintivo da Fatela, devido á grande importancia da agricultura na nossa aldeia. Os trajes dos rapazes e das raparigas que compõem o rancho estão ligados sobretudo aos dias festivos, apresentando tambem os trajes de trabalho e o de noivos da altura. Até hoje entre as numerosas deslocações este mesmo rancho conta já com muitas participações e reconhecimentos do seu valor no pais.

Grupo de Danças e Cantares da FatelaEditar

Criado em 2007, na sequência de um projecto de recolha do património cultural da Fatela. A sua primeira actuação foi a 14 de Dezembro de 2007 e a sua apresentação pública à comunidade foi a 15 de Março de 2008, com um desfile pela aldeia e várias actuações. Fizeram parte deste grupo os alunos da Turma 2, 1º e 4º ano da escola EB1 de Fatela, assim como a sua professora natural de Castelo Branco e outras pessoas naturais de Fatela que contribuiram com empenho para levar avante o projecto. Traçou como principal objectivo representar os valores etnográficos desta região da beira baixa bem como as músicas e danças que outrora animavam o pouco tempo livre, que a dura vida do campo deixava às populações do interior do País.

Em Julho de 2008 deixou de estar ligado à Escola da Fatela, data em passou a ser autónomo. Mantendo a vocação inicial de ser Escola de usos, costumes e tradições da aldeia da Fatela foi amadurecendo, ao longo do tempo, e actualmente possui três valências: O Grupo de Danças e Cantares da Fatela (2007), O Grupo de Cantares da Fatela (2011) e o Grupo de Bombos "Os Arrelia" (2011).

As principais Danças e Cantares com que se apresenta são: "O fado da nossa terra","Linda Rosa", "A Brincalhona", "Agora é que eu vou ao centro", "A Ciranda", "Cheguei ao largo da Praça" entre muitas outras com especial destaque para "O Fado do Grupo de Danças e Cantares da Fatela" um tema inspirado no fado mandado ao toque do acordeão e da moda das "Romarias da Beira".

Pretende ser um grupo isento e auto-sustentável com a missão de incutir aos seus jovens membros o valor do trabalho, o espírito de equipa e a superação das adversidades com recurso à capacidade empreendedora de cada um.

Para desenvolver a seu trabalho O grupo de Danças e Cantares da Fatela aposta na formação dos seus membros de forma a que, por si próprio, seja capaz de dar resposta às necessidades inerentes à sua actividade, dispondo para o efeito de um acordeão, doze bombos, duas caixas, pandeireta, ferrinhos, adufe, dois realejos, três pífaros e uma gaita de foles pertencentes ao próprio grupo, a colaboradores e beneméritos.

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Centro". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 1 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 
  2. «Candidatura a Paisagem Protegida da Serra da Gardunha » (PDF). C^ amara Municipal de Castelo Branco. Consultado em 8 de Fevereiro de 2014  line feed character character in |publicado= at position 3 (ajuda)
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes