Fernão Cabral

militar português

Fernão Cabral (c. 1427 — c. 1492), foi um fidalgo do conselho português, senhor de juro e herdade de Belmonte, de Azurara da Beira e de Manteigas, 1 º regedor das justiças da Beira[1] (1464), adiantado-mor da Beira (1464), coudel-mor da Casa Real, alcaide-mor de Belmonte.

Combateu, segundo a Crónica do Rei D. Duarte, da autoria de Rui de Pina, na mal sucedida tomada de Tânger, comandada pelo Infante D. Henrique.

De acordo com o cronista, Fernão (ou Fernando) Álvares Cabral «perdeu a vida em defensão de seu senhor. E com ele morreram cristãos nesta peleja vinte e três».

Fernão Cabral era pai de 13 filhos, um dos quais (provavelmente o mais velho) também se chamava Fernão Cabral.

O mais célebre de seus filhos parece ter sido o navegador Pedro Álvares Cabral,[2] nascido de seu casamento com Isabel de Gouveia de Queirós,[1] filha de João, senhor de Gouveia.

Referências

  1. a b Greenlee, William Brooks (1951). A viagem de Pedro Alvares Cabral ao Brasil e à India pelos documentos e relações goevas [sic]. Rio de Janeiro: Livraria Civilização. p. 48 
  2. Noticias de Portugal 1090-1147 ed. Lisboa: [s.n.] 1968. Fernão Cabral, pai de Pedro Álvares Cabral, possuia uma casa abastada que se tornou mais opulenta com os bens herdados por 

Ligações exterioresEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.