Fintech (do inglês: financial technology) é um termo que surgiu da união das palavras financial (financeiro) e technology (tecnologia). As fintechs são majoritariamente startups que trabalham para inovar e otimizar serviços do sistema financeiro. Essas empresas possuem custos operacionais muito menores comparadas às instituições tradicionais do setor. Isso é possível porque conseguem utilizar tecnologias que elevam a eficiência dos processos e barateiam os serviços ofertados, exemplo disso é o uso de smartphones para o uso de bancos móveis e a possibilidade de realizar investimentos.

DefiniçãoEditar

Fintech vem da junção de financial (financeiro) e technology (tecnologia). A origem do termo é atribuída a um programa de aceleração de startups capitaneado pela Accenture, em parceria com a prefeitura de Nova York, chamado fintech.

Com o tempo, fintech passou a designar o segmento das startups que criam inovações na área de serviços financeiros, com processos baseados em tecnologia. Normalmente, estas startups criam novos modelos de negócio, em áreas como conta corrente, cartão de crédito e débito, empréstimos pessoais e corporativos, pagamentos, investimentos, seguros, etc.

Uma revisão das definições publicada pelo professor Patrick Schueffel da Fribourg School of Management, na Suíça, em 2016 sintetizou as várias definições acadêmicas publicadas nos últimos quarenta anos como "um novo setor financeiro que aplica tecnologia para melhorar as atividades financeiras". Por serem um novo setor financeiros essas fintechs são majoritariamente startups. Podendo ser também definidas como startups Financeiras, que estão criando uma nova forma de se lidar com os produtos e serviços financeiros com uso intensivo de tecnologia. As fintechs estão criando uma nova experiência na contratação e utilização de serviços financeiros, atuando em um setor que sempre utilizou demasiada burocracia e complexidade dos processos.

Principais áreasEditar

O mercado de fintechs tem despertado cada vez mais o interesse de investimentos. Em 2017 os investimentos nas empresas desse setor totalizaram aproximadamente R$500 milhões de reais no Brasil. Realidade há mais tempo em países desenvolvidos as fintechs começam a ganhar força no Brasil com um aumento de aproximadamente 21%(de 2017 a 2018), mostrando um setor aquecido e com ritmo acelerado de crescimento.

O uso da tecnologia pode automatizar a indústria de seguros, day trading e gerenciamento de riscos financeiros.[1]

O investimento global em tecnologia para serviços financeiros foi de US$12 bilhões de dólares em 2014. Grandes centros financeiros, como a Cidade de Londres, onde mais de 40% da força de trabalho está concentrada em serviços bancários e tecnologia.[2]

Tipos principais de fintechsEditar

[3][4]

  1. Fintechs de pagamentos
  2. Fintechs de gestão financeira
  3. Fintechs de empréstimos e negociação de dívidas
  4. Fintechs de crowdfunding
  5. Fintechs de investimentos
  6. Fintechs de eficiência financeira
  7. Fintechs de blockchain e bitcoin
  8. Fintechs de seguros

Ver tambémEditar

Referências

  1. Burns, Hilary (5 de Maio de 2017). «What is fintech? Experts weigh in to define the emerging industry» (em inglês). Charlotte Business Journal. Consultado em 21 de Agosto de 2017 
  2. Jens Münch. «What is fintech and why does it matter to all entrepreneurs» (em inglês). Hot Topics. Consultado em 21 de Agosto de 2017 
  3. «Quais são os tipos de fintech?». 6º Curso Estado de Jornalismo Econômico 
  4. «Understanding FinTech Categories». The Ian Martin Group (em inglês). 15 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar