Abrir menu principal
Fonte Talavera de la Reina antes da reforma.

A Fonte Talavera de La Reina é um monumento da cidade de Porto Alegre. Encontra-se em frente ao prédio da prefeitura, na Praça Montevidéo número 10, e foi um presente da colônia espanhola em 1935, por ocasião da comemoração do centenário da Revolução Farroupilha. Sinaliza o marco zero da cidade.

HistóriaEditar

A idéia de fazer uma homenagem com um chafariz, do povo espanhol para Porto Alegre, partiu do professor e escultor Fernando Corona. A intenção era ornamentar a cidade com algo que traduzisse o espírito clássico da Espanha. Desenhada por Corona, a obra foi executada pelo mais afamado ceramista talaverano, Juan Ruiz de Luna.

Para trazer o material da Espanha, o embaixador espanhol no Brasil, D. Vicente Salles, conseguiu transporte gratuito. O então presidente Getúlio Vargas concedeu isenção de impostos de importação, enquanto que o governador do Rio Grande do Sul, Flores da Cunha, facilitou o transporte das peças pelo interior do estado. O local de construção foi concedido pelo prefeito Alberto Bins.

A fonte é recoberta de azulejos espanhóis nas cores azul-cobalto e amarelo-ocre e originalmente apresentava uma grande bacia dupla inferior em dodecágono e uma bacia redonda também dupla ao centro, redonda, esta sobre um pedestal com quatro golfinhos. Ali também existe um painel que traz a inscrição:

LA COLONIA ESPAÑOLA
AL GLORIOSO PUEBLO
RIOGRANDENSE
EN SU CENTENARIO
FARROUPILHA
1835 1935

Depredação e reformasEditar

No ano de 2000, ocorreu a primeira restauração na fonte. Nesta restauração foram recuperadas as pinturas de toda a fonte e os quatro peixes-vertentes, que encontravam-se quebrados.

Em julho de 2005, após um movimento de protesto de carroceiros, a cuba superior do chafariz foi danificada. Além disso, uma das vertentes já estava desaparecida. Em outubro de 2007, a Prefeitura de Porto Alegre anunciou que a Fonte Talavera espera para ser reformada, após quase 2 anos funcionando quebrada e sem a parte superior.

As novas peças vieram da Espanha e a substituição completa da cuba superior da fonte, em 2008, causaram polêmica, tendo cores e forma diferentes do original. A cuba original, quebrada, encontra-se atualmente em exposição no subsolo da Prefeitura Municipal.

Ligações externasEditar