Francesco Queirolo

Francesco Queirolo (1704–1762) foi um escultor italiano genovês, ativo em Roma e Nápoles durante o período rococó.

Il Disinganno

Ele treinou junto com Giuseppe Rusconi em Roma. Lá, executou as estátuas de São Carlos Borromeu e São Bernardo na fachada da Santa Maria Maior, um busto de Cristina da Suécia (1740), a estátua da Riqueza na Fonte de Trevi (1735)[1] e o sepulcro da Duquesa Grillo em Sant'Andrea delle Fratte (1752). Depois de 1752, ele foi ativo na decoração da famosa Capela de Sansevero napolitana.[2]

O Desengano (Il Disinganno)Editar

O Desengano (Il Disinganno), produzido em 1752–1759, mostra um pescador sendo libertado de uma rede por um anjo. A obra-prima foi esculpida em uma única peça de mármore e pode ser vista na Capela de Sansevero, em Nápoles. O ambicioso projeto foi considerado por alguns como impossível de ser concluído, e apenas Queirolo concordou em tentá-lo.[3]

Referências

  1. «Trevi Fountain – Nemo.Guide» (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2020 
  2. Turner, Jane (1996). The Dictionary of Art. Vol. 25. Nova Iorque: Grove. p. 808. ISBN 1-884446-00-0.
  3. «Release from Deception by QUEIROLO, Francesco». www.wga.hu 

BibliografiaEditar

  • Wittkower, Rudolf (1993). «Art and Architecture Italy, 1600-1750». Pelican History of Art. [S.l.]: Penguin Books. pp. 449–450