Froila Bermudes

Froila Bermudes (m. depois de 1092), filho de Bermudo Froilaz e de Lupa Rodrigues,[1] foi um nobre galego nascido no início do século XI nas suas terras em Trasancos, dominado pelo seu grupo familiar, os Trava, desde o século IX

Matrimónio e descendênciaEditar

Casou duas vezes, a primeira vez com Elvira de Faro, filha de Menendo Bermudes de Faro, aio do rei Afonso V, e de Ilduara Guterres, de quem teve quatro filhos:

  • Gonçalo Froilaz, bispo de Mondoñedo.[2]
  • Pedro Froilaz de Trava (m. 1128) conde de Trava e uma das personagens mais relevantes do período medieval na Galiza,[3] casou por duas vezes, a primeira com Urraca Fróilaz, filha de Froila Arias de Trava e de Ardiu Didaci[2]e a segunda com Gontrodo "Mor" Rodrigues, filha do conde Rodrigo Muñoz e a condesa Teresa.[2]
  • Rodrigo Froilaz (m. antes do 6 de avril de 1133), esposo de Guncina Gonçalves,[4] filha de Gonçalo Mendes de Sousa e de Urraca Sanches.
  • Visclavara Froilaz, freira no Mosteiro de São Mantinho de Xuvia.[1]


Casou-se depois com Lucia, com que teve a:

  • Munia Froilaz (m. c. 1147), casada com Paio Mendes. Foi a fundadora do Mosteiro de São Salvador de Pedroso.[5]
  • Ermesinda Froilaz, a esposa de Cresconio Muñiz.[5]

Referências

  1. a b López Sangil 2007, p. 247.
  2. a b c López Sangil 2007, p. 248.
  3. López Sangil 2007, pp. 248-249.
  4. López Sangil 2007, pp. 249-250.
  5. a b López Sangil 2007, p. 250.

BibliografiaEditar


  Este artigo sobre História da Península Ibérica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.