Fronteira Irlanda-Reino Unido

A fronteira entre a Irlanda e o Reino Unido é a linha que limita os territórios da República da Irlanda e Reino Unido.[1] É conhecida com o nome de fronteira irlandesa (em inglês, Irish border, na Irlanda conhecida como The border), separando a República da Irlanda da Irlanda do Norte.[1]

Fronteira Irlanda-Reino Unido
Traçado da fronteira
Delimita:  Irlanda
 Reino Unido
Comprimento: 360 km
Posição: 200
Criação: 1920

Com 499 km de comprimento[1] entre Lough Foyle a oeste e Carlingford Lough a leste, na costa do Mar da Irlanda. É a única fronteira terrestre da República da Irlanda, e é hoje uma fronteira aberta entre dois estados da União Europeia.

A fronteira foi criada em 1920 pelo Parlamento do Reino Unido em aplicação do Government of Ireland Act.[1] Seis dos trinta e dois condados da Irlanda foram atribuídos à Irlanda do Norte e os vinte restantes formaram o novo estado irlandês.[1]

Originalmente destinada a ser uma fronteira interna do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, a fronteira tornou-se de facto uma fronteira internacional em 6 de dezembro de 1922 com a criação do Estado Livre Irlandês. Inicialmente criado para ser um dominion, o Estado Livre Irlandês foi largamente independente desde a sua criação, e o seu estatuto não foi formalizado senão com a adoção do Estatuto de Westminster em 1931.

O tratado anglo-irlandês de dezembro de 1921, que permitiu a criação do Estado Livre Irlandês, retoma a fronteira de 1920 como fronteira de facto. Uma comissão de fronteira deveria desenhar o limite com base nas diferenças demográficas no norte da ilha, mas as suas recomendações nunca foram aprovadas por uma ou ambas as partes, e a fronteira foi estabelecida sobre o traçado de 1920, nunca tendo sido publicado o relatório da comissão.

Entre finais da década de 1960 e a conclusão do processo de paz na década de 1990 decorreu o período mais complexo no conflito da Irlanda do Norte, que ficou conhecido como The Troubles.[2] Envolveu organizações paramilitares republicanas e lealistas, e ativistas políticos e grupos pró-direitos civis, a Real Polícia do Ulster (polícia britânica no Ulster, também denominada RUC), ao Exército Britânico e outros grupos na Irlanda do Norte.[2] O conflito terminou com a assinatura do Acordo de Sexta-Feira Santa (ou Acordo de Belfast) em 10 de abril de 1998.[2] Não obstante, a violência continuou depois desta data e ainda há eclosões de forma ocasional mas de pequena escala.[2]

Referências

  1. a b c d e Rankin, KJ. «The Creation and Consolidation of the Irish Border» (PDF). Mapping frontiers, plotting pathways: routes to North-South cooperation in a divided island. Institute for British-Irish Studies. p. 2. Consultado em 11 de janeiro de 2020 
  2. a b c d «O conflito histórico com a Irlanda que ameaça acordo do Brexit». BBC News (em inglês). 17 de outubro de 2019. Consultado em 11 de janeiro de 2020 
  Este artigo sobre fronteiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.