Gaspar de Bragança

Gaspar de Bragança (Lisboa, 8 de Outubro de 1716 - Braga, 18 de Janeiro de 1789) foi um filho ilegítimo do Rei D. João V de Portugal, duma relação que este manteve com uma religiosa, Madalena Máxima da Silva de Miranda Henriques, sendo o segundo dos chamados meninos de Palhavã.

Gaspar de Bragança
Arcebispo da Igreja Católica
Arcebispo de Braga

Título

Primaz das Espanhas
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Braga
Nomeação 15 de outubro de 1767
Predecessor D. José de Bragança
Sucessor D. Caetano da Anunciação Brandão, T.O.R.
Mandato 1767 - 1789
Ordenação e nomeação
Ordenação episcopal 25 de julho de 1768
por D. José Dantas Barbosa
Nomeado arcebispo 15 de outubro de 1767
Brasão arquiepiscopal
Coat of arms of José de Bragança, Gaspar de Bragança.svg
Dados pessoais
Nascimento Lisboa
8 de outubro de 1716
Morte Braga
18 de janeiro de 1789 (72 anos)
Nacionalidade português
Progenitores Mãe: Madalena Máxima da Silva de Miranda Henriques
Pai: João V de Portugal
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Em 1758, o infante Dom Gaspar foi designado arcebispo primaz de Braga, sucedendo assim ao seu tio consanguíneo D. José Carlos de Bragança, ele mesmo um filho bastardo do Rei D. Pedro II de Portugal e de Francisca Clara da Silva.

Precedido por
D. José de Bragança
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo Primaz de Braga

1758 - 1789
Sucedido por
Caetano da Anunciação Brandão, T.O.R.