Gavião do Oeste

Os Gaviões do Oeste - assim denominados na literatura antropológica por serem, dos grupos Gaviões, os que habitam em condições ecológicas mais ocidentais -, são índios Timbira, que falam uma língua filiada ao tronco linguístico Macro-Jê.

Os índios Gaviões vivem nos campos do sudoeste maranhense e na região de floresta tropical do vale do Médio Rio Tocantins. Os Pucobié ou Pykopjê, também conhecidos como "Pykopcatejê", "Pukobiê" e "Gavião do Maranhão" é um povo indígena brasileiro que se localiza no sudoeste do estado do Maranhão. Em 2005, sua população perfazia um total de 473 indivíduos. Os atuais Gaviões residentes na zona tocantina paraense são originários das terras do Estado do Maranhão. A chegada do último grupo local Gavião ao Pará se reporta ao ano de 1969, quando um grupo "pacificado" no ano anterior pelo sertanista Antônio Cotrim, nos campos de Imperatriz, foi levado para a Terra Indígena Mãe Maria, no município de São João do Araguaia - hoje fazendo parte do município de Bom Jesus do Tocantins -, local em que se mantém até o presente. Alguns índios remanescentes de um grupo que habitava na Reserva Gavião da Montanha, localizada no município de Tucuruí, nos meados da década de setenta, ainda permaneciam neste local, sendo deslocados para a Terra Indígena Mãe Maria recentemente, contudo ainda revindicando indenização por ter suas terras tradicionais alagadas pela Hidroelétrica de Tucuruí.[1]

A maior parte do povos Gaviões remanescentes encontram-se na Reserva Mãe Maria, aldeados ao longo da BR-222. O Grupo que habita no km 30 se autodenomina Parakatejê ou Rorokateyê, os que habitam no km 34 se autodenominam Kyikatejê ou Koykateyê e o grupo Gavião da Montanha, estes últimos ainda sem território fixo, com parte do grupo ainda habitando nas redondezas da Hidroelétrica de Tucuruí.[2]

Referências

  1. Povos Indígenas no Brasil «Ação dos índios Gavião da Montanha contra a Eletronorte será julgada na segunda-feira (20/05)». ISA-Socioambiental. 20 de março de 2003. Consultado em 19 de Outubro de 2010 
  2. Portal Anpocs «Povos Indigenas e desenvolvimento Hidroelétrico na Amazônia». Sílvio Coelho dos Santos e Aneliese Nacke. 2001. Consultado em 19 de Outubro de 2010 

BibliografiaEditar