Gertrudes da Merânia

Gertrude da Merânia (Andechs, 1185 - Pilis, 28 de setembro de 1213) foi rainha consorte da Hungria, entre os anos de 1205 e 1213, como a primeira esposa do rei André II da Hungria. Foi assassinada por nobres húngaros, e é considerado um dos crimes mais famosos da história do país. Sua morte é contado em um drama de József Katona e em uma ópera de Ferenc Erkel.[1][2][3]

Gertrude de Andechs-Merânia
Gertrudes da Merânia
Rainha consorte da Hungria
Reinado 12051213
Antecessor(a) Constança de Aragão
Sucessor(a) Iolanda de Courtenay
 
Nascimento 1185
  Andechs, Alemanha
Morte 28 de setembro de 1213 (28 anos)
  Pilis, Hungria
Sepultado em Abadia Cisterciense de Pilis
Cônjuge André II da Hungria
Pai Bertoldo IV
Mãe Inês de Rochlitz

Genealogia

editar

Filha de Inês de Rochlitz e Bertoldo IV, duque da Merânia.[1]

Irmã de Inês, que casou com rei Filipe II Augusto da França; Edviges da Silésia, que foi canonizada; Otão I, Príncipe da Merânia; Bertoldo V, Patriarca de Aquileia; Henrique IV, Governador da Ístria; e Ecberto de Bamberga.[1][4]

Casou com o rei André II da Hungria, com quem teve 5 filhosː Maria, que casou com João Asen II da Bulgária; Béla IV; Isabel da Turíngia, que casou com Luís IV de Turíngia e foi canonizada em 1235; Colomano; e André.[5]

Biografia

editar

Nascida como Gertrude Andechs, em 1185, filha de Inês de Rochlitz e Bertoldo IV, duque da Merânia.[1]

Gertrude foi prometida a André, irmão de Emérico, rei da Hungria. E se casaram em 1203. Neste mesmo ano, André se rebelou contra seu irmão, querendo expulsa-lo do trono. Nesta guerra interna, Emérico aprisionou André, e Gertrude precisou voltar para a casa de seu pai. Em 1204. o rei Emérico veio a falecer e, em 1205, seu filho Ladislau III, herdeiro do trono, teve uma morte súbita. André foi solto e proclamado o rei da Hungria, e Gertrude a rainha consorte.[1][6]

Em 1213, durante uma campanha militar de André II, em Aliche, Gertrude e sua comitiva sofreram uma emboscada enquanto caçavam na Floresta de Pilis, ocorrendo seu assassinato por nobres húngaros, que estavam descontentes devido a rainha, influente e ativa na política da corte, privilegiar parentes e nobres alemãs. A rainha foi sepultada na Abadia Cisterciense de Pilis.[1][2][5][6]

Referências

  1. a b c d e f Wagner, Hans, Gertrud. Neue Deutsche Biographie 6 (1964), pp. 333-334.
  2. a b Takács, Imre (janeiro de 2015). «The Tomb of Queen Gertrude». Acta Historiae Artium: 5–88. doi:10.1556/170.2015.55.1.1. Consultado em 12 de junho de 2023 
  3. «Meráni Gertrudis királyné meggyilkolása». Pilisszentkereszti Hírforrás. Consultado em 13 de junho de 2023 
  4. Tamás, Tarján. «Meráni Gertrudis királyné meggyilkolása». Rubicon (em húngaro). Consultado em 12 de junho de 2023 
  5. a b «André II da Hungria _ AcademiaLab». academia-lab.com. Consultado em 12 de junho de 2023 
  6. a b Tamás, Körmendi. A Gertrúd királyné elleni merénylet a külhoni elbeszélő forrásokban. (em húngaro). Történelmi Szemle 51 (2009) 155--193.