Abrir menu principal
As tartarugas-do-mar eliminam o excesso de sais através dos canais lacrimais, podendo-se observar um "choro" quando fora de água.

A glândula de sal é um órgão que elimina do organismo o excesso de sais presente nos Elasmobranchii (tubarões, raias), aves marinhas e alguns répteis. Nos tubarões a glândula encontra-se no reto, nas aves e nos répteis no crânio, na área dos olhos, narinas ou boca.[1] Estas glândulas mantêm o equilíbrio de sais e permitem aos vertebrados marinhos beber água do mar.[2]

Referências

  1. Ellis, Richard A.; GOERTEMILLER, CLARENCE C.; STETSON, DAVID L (1982). «Significance of extensive /'leaky/' cell junctions in the avian salt gland». Nature. 268 (5620): 555–556. Bibcode:1977Natur.268..555E. PMID 887174. doi:10.1038/268555a0 
  2. O’Driscoll, K.J.; Staniels, L.K.; Facey, D.E. «Osmoregulation and Excretion». Consultado em 6 de julho de 2007. Arquivado do original em 8 de julho de 2007 
  Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.