Abrir menu principal
Glória Trevi
Glória Trevi em 2015.
Informação geral
Nome completo Glória de los Ángeles Treviño Ruiz
Também conhecido(a) como La Trevi
Madonna de México
Nascimento 15 de fevereiro de 1968 (51 anos)
Local de nascimento Monterrey, Nuevo León
 México
Nacionalidade mexicana
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Extensão vocal Contralto
Período em atividade 1982-presente
Gravadora(s) Universal (2008-)
Afiliação(ões)
Página oficial MundoTrevi.com

Glória de los Ángeles Treviño Ruiz, mais conhecida como Glória Trevi (Monterrey, 15 de fevereiro de 1968) é uma cantora, compositora, produtora, instrumentista e atriz mexicana. Chamada de "A Suprema Diva do Pop Mexicano" pelo canal de música VH1, Glória vendeu mais de 45 milhões de cópias de discos.[1]

Índice

Biografia e CarreiraEditar

Ainda pequena, mostrava interesse pelas artes e também pela música, principalmente pelo Rock. Deixou Monterrey com doze anos de idade para perseguir uma carreira na Cidade do México[2] onde conheceu seu futuro empresário, Sergio Andrade. Seu primeiro contato com a TV foi num concurso da Televisa para escolher uma sósia da atriz Lucerito, mas isso não ajudou muito em sua carreira. Em 1985, entrou para um grupo feminino chamado “Boquitas Pintadas”,[2] que também não deu certo e encerrou no mesmo ano.

Nos anos 90, ela reencontrou seu produtor, Sergio Andrade e acabou tendo um caso com ele, que decidiu dar ajuda para que sua carreira decolasse.

Depois que o grupo se separou em 1988, ela se reaproximou de Sérgio Andrade para a produção de seu primeiro álbum solo, ¿Qué Hago Aquí?, que foi lançado em 1989 e marcou um número um hit, 'Dr. Psiquiatra '. [3]

Muitas vezes foi chamada de "Madonna do México",[4] pois seus álbuns sempre trabalhavam a sensualidade e o duplo sentido e eram sucessos de venda. Vendeu mais de 5 milhões de álbuns na época e também fez sucesso vendendo calendários com fotos suas com trajes sensuais, cadernos, figurinhas, maquiagem e bonecas.[5] Sua música e seus vídeos foram usados como ativismo político, uma vez que suas letras tratavam diretamente sobre religião, pobreza, prostituição, tráfico e overdose de drogas, a fome, a classe alta, as mortes de guerra e violência contra as mulheres.[6]

O primeiro álbum foi seguido por Tu Ángel de la Guarda, que foi ainda mais bem-sucedido. O hit Pelo suelto foi um sucesso, alcançando o número um em toda a América Latina e na Espanha. Seu terceiro álbum, Me siento sola tan, foi lançado em 1992, ganhando um outro hit, Zapatos Viejos. Todos os três álbuns foram gravados em Los Angeles. Em 1993, foi nomeada para categoria Artista Pop Feminina do Ano no Prêmio Lo Nuestro.[7]

Em 1994, lançou os singles El Recuentro De Los Daños e La papa sin catsup para o álbum Más Turbada Que Nunca, tanto que atingiu o topo das paradas Billboard latino.[8]

Reiniciou sua carreira musical com os álbuns “Cómo Nace El Universo” em 2004, “La Trayectoria” em 2006 e “Una Rosa Blu” em 2007 que vendeu mais de 50 mil cópias no dia de seu lançamento.

Ela estrelou em 2013 como protagonista (junto com Gabriel Soto) a novela de Emilio Larrosa: Libre para amarte.[9]

Vida pessoalEditar

Sua vida sempre foi bastante problemática, principalmente no quesito relacionamento. Manteve por muitos anos um relacionamento extraconjugal com deu empresário Sérgio Andrade, que era casado. Em 1999, uma ex-mulher de Sérgio acusou a ele e a Glória, na TV, de envolvimento com tráfico de drogas e exploração sexual, o que foi agravado pelo surgimento de uma adolescente grávida que apontava Sérgio como pai da criança.[5]

Com as acusações, ambos foram considerados suspeitos. O caso se agravou quando eles fugiram do México para a Europa, e depois para a Região Nordeste do Brasil e finalmente para o Rio de Janeiro, onde acabaram sendo presos em 1998 em um presídio de Brasília[5], juntamente com a cantora de apoio Maria Raquenel Portillo.[10][11]

Em 2000, Trevi anunciou em entrevistas que engravidou na prisão, em Brasília, durante um mês que teve liberdade condicional e foi fazer visita íntima a Sérgio. Ela revelou publicamente que o pai da criança era Sérgio Andrade, de acordo com testes de DNA feitos pelas autoridades brasileiras. [12] Seu caso se transformou num longo processo judicial de extradição para o México, que foi decidida pelo Supremo Tribunal Federal alguns anos depois. Trevi foi transferida grávida para um presídio no Rio de Janeiro. Lá, ela teve sua filha, nascida em dezembro de 1998, que faleceu aos 33 dias de vida. A menina se chamava Ana Delai Ruiz Andrade, e nasceu no Rio de Janeiro. Até hoje Glória não sabe do que a filha faleceu e nem onde foi sepultada. Ela revelou não ter feito pré natal e que teve a filha em condições precárias dentro de um hospital público, e que estava sem condições físicas e psicológicas para cuidar da criança, visto que teve um parto normal complicado que a deixou internada. De volta ao presídio em Brasília, e em uma das suas liberdades condicionais, engravidou novamente de Sérgio Andrade e em 2000 teve um filho de parto normal dentro da ala de enfermagem do presídio em Brasília. O menino se chama Ángel Gabriel Ruiz Andrade. Aos seis meses de vida ela precisou se separar do filho, que não poderia continuar junto dela na cadeia. Após ir para um orfanato, um longo processo foi aberto, e um ano depois foi autorizado que o menino fosse levado para o México para viver com os avós maternos.[13]

Em 2004, a cantora foi extraditada ao seu país natal, e inocentada [13] de todas as acusações devido à falta de provas, depois de passar quatro anos e oito meses de prisão. Ela reencontrou o filho, após sofrer muito pela sua ausência. Após morar alguns meses com o filho na casa dos pais, se mudou com o menino para os Estados Unidos, onde passou a tentar reconstruir sua carreira.[12]

Nos EUA, iniciou um novo relacionamento, e casou-se com Armando Gómez, um advogado norte-americano, no final de 2004, e ambos passaram a viver em McAllen, Texas, onde nasceu o filho do casal: Miguel Armando Ruiz Gómez, nascido de parto cesariana, prematuro, em 2005. [14]

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

Ano Álbum Top Latin Albums Latin Pop Albums Top Heatseekers The Billboard 200 Mexico
1989 ¿Qué Hago Aquí? - - - - 1
1990 Tu Ángel de la Guarda - 4 - - 1
1992 Me Siento Tan Sola - 8 - - 1
1994 Más Turbada Que Nunca 43 - - - 1
1995 Si Me Llevas Contigo - - - - 1
2004 Cómo Nace El Universo 4 2 5 - 1
2007 Una Rosa Blu 9 3 - 169 5
2011 Gloria 1 1 - 71 1
2013 De Película 2 2 - 109 2
2015 El Amor - - - - -

Álbuns ao vivoEditar

Year Album Top Latin Albums Latin Pop Albums Top Heatseekers Mexico
2006 La Trayectoria 29 8 42 3
2012 Gloria en vivo
2016 Inmortal 1 1

Singles (U.S. Billboard Hot Latin Songs)Editar

Ano Single Posição
1989 "Dr. Psiquiatra" 1
1989 "El Último Beso" 36
1989 "Satisfecha" n/ch.
1989 "¿Que Voy a Hacer Sin El?" 22
1989 "Mañana" 5
1989 "¿Qué Hago Aquí?" 9
1990 "Pelo Suelto" 1
1990 "Tu Angel de la Guarda" 2
1991 "Agárrate" 12
1992 "Con los Ojos Cerrados" 6
1992 "Zapatos Viejos" 6
1992 "Me Siento Tan Sola" 6
1992 "Los Borregos" 19
1992 "La Acera de Enfrente" n/ch.
1994 "La Papa Sin Catsup" 1
1994 "A Gatas" n/ch.
1994 "Que Bueno que no fui Lady Di!" n/ch.
1994 "El Recuento de los Daños" 1
1994 "Siempre a Mi" 17
1995 "Ella Que nunca Fue Ella" 8
1995 "Si Me Llevas Contigo" n/ch.
2004 "En Medio de la Tempestad" 4
2006 "Todos Me Miran" 1
2006 "Sufran con lo Que Yo Gozo (single)" 39
2006 "Estrella de la Mañana" 38
2007 "Psicofonía" 12
2008 "Cinco Minutos" 4
2008 "Pruébamelo" n/ch.
2009 "El Favor de la Soledad" n/ch.
2009 "Lo que una chica por amor es capaz" n/ch.
2009 "Que Emane" n/ch.
2011 "Me Río de Ti" 21
2018 "Me Lloras" n/ch
2018 "Que Me Duela" n/ch
2018 "Ellas Soy Yo" n/ch

Álbuns de recompilaçõesEditar

  • 1993: Cántalo tú mismo (BMG Ariola)
  • 1997: ¡De pelos! Lo mejor de la Trevi (BMG Ariola)
  • 1999: No soy monedita de oro (BMG Ariola) (I am not a gold digger)
  • 2008: Una Rosa Blu (Deluxe Edition) (Universal)
  • 2009: Lo escencial de Gloria Trevi (Sony Music)
  • 2009: 6 Super Hits (Universal)

TurnêsEditar

FilmografiaEditar

Referências

Ligações externasEditar