Abrir menu principal

Golpe de Estado no Império Otomano em 1913

Multidão reunida em frente ao principal edifício da Sublime Porta logo após o golpe.

O Golpe de Estado no Império Otomano em 1913 (23 de janeiro de 1913), também conhecido como Ataque a Sublime Porta (em turco: Bâb-ı Âlî Baskını ), foi um golpe de Estado realizado no Império Otomano por vários membros do Comitê para a União e o Progresso (CUP), liderado por Ismail Enver Bey e Mehmed Talaat Bey, no qual o referido grupo efetuou um ataque surpresa contra os edifícios centrais do governo otomano, a Sublime Porta (em turco: Bâb-ı Âlî ). Durante o golpe de Estado, o Ministro da Marinha Nazım Paxá foi assassinado e o grão-vizir, Kâmil Paxá, foi forçado a renunciar. Após o golpe, o governo cairia nas mãos do Comitê para a União e o Progresso, então sob a liderança do triunvirato conhecido como os "Três Paxás" - constituído por Enver, Talaat e Djemal Paxá.

Em 1911, o Partido Acordo e Liberdade (também conhecido como a União Liberal ou Entente Liberal), o partido de Kâmil Paxá, foi formado em oposição ao Comitê para a União e o Progresso, e, quase que imediatamente, venceu as eleições parciais em Istambul.[1] Alarmado, o Comitê para a União e o Progresso manipulou as eleições gerais de 1912, com fraude eleitoral e violência contra o Acordo e Liberdade, valendo-lhes a alcunha de "Eleição dos Clubes" (em turco: Sopalı Seçimler ).[2] Em resposta, os Oficiais Salvadores (em turco: Halâskâr Zâbitân ) do Exército, partidários do Acordo e Liberdade, determinados a ver a queda do Comitê para a União e o Progresso, rebelaram-se e causaram a queda do governo pós-eleitoral do CUP de Mehmed Said Paxá. [3] Um novo governo foi formado sob Ahmed Muhtar Paxá, mas também foi dissolvido depois de alguns meses, em outubro de 1912, após a eclosão súbita da Primeira Guerra Balcânica. [4]

Depois de obter a permissão do sultão Maomé V Raxade para formar um novo governo, no final de outubro de 1912, o líder do Acordo e Liberdade Kâmil Paxá sentou-se para conversações diplomáticas com a Bulgária, após a bem sucedida Primeira Guerra Balcânica.[5] Utilizando a demanda búlgara pela cessão da antiga capital otomana de Edirne (Adrianópolis) como pretexto, o Comitê para a União e o Progresso realizou o ataque à Sublime Porta.[5] Após o golpe, os partidos da oposição, como o Acordo e Liberdade, foram sujeitos a intensa repressão e seus líderes presos ou exilados para a Europa, enquanto muitos membros do Comitê para a União e o Progresso foram colocados no poder. O líder golpista Enver Bey (mais tarde Paxá), que logo seria Ministro da Guerra, retirou o Império Otomano da Conferência de Paz de Londres em andamento e moveu-se mais próximo da Alemanha frente à Primeira Guerra Mundial.

ReferênciasEditar

NotasEditar

  1. Burak, p. 307.
  2. Alkan, Mehmet Öznur (maio de 1999). «Osmanlı'dan Günümüze Türkiye'de Seçimlerin Kısa Tarihi» (PDF). setav.org. p. 50. Arquivado do original (pdf) em 12 de maio de 2013 
  3. Birinci 1990, p. 164-177.
  4. Bağcıoğlu, Fatih. «İttihat ve Terakki Üzerine Düşünceler-2» (em turco). Sızıntı. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2010 
  5. a b Kuyaş 2013, p. 26.

BibliografiaEditar