Gonçalo Moniz


Gonçalo Moniz Sodré de Aragão ( Salvador, 28 de janeiro de 1870Salvador, 1 de junho de 1939) foi um médico, professor e escritor brasileiro, imortal fundador da Cadeira 17 da Academia de Letras da Bahia e patrono da Academia de Medicina da Bahia Cadeira 24.[1][2][3][4][5]

Gonçalo Moniz Sodré de Aragão
Nascimento 28 de janeiro de 1870
Salvador, Bahia
Morte 1 de junho de 1939 (69 anos)
Salvador,
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação médico, professor e escritor

BiografiaEditar

Filho de Maria Leopoldina e do Dr. Egas Carlos Moniz Sodré de Aragão. Casou com Maria da Purificação da França Pinto de Oliveira Garcez, com quem teve dois filhos, Luiz Moniz Sodré e Alice Moniz Sodré [3] [1] [2] [3] [5]

Formou-se médico na Faculdade de Medicina da Bahia em 1892 [1][2][3] [5]

Entrou por concurso para o quadro de docentes da Faculdade de Medicina da Bahia como professor substituto em 1895. [1][2][3] [5]

Em 1899, foi então nomeado pelo Governo Estadual para montar e dirigir o Gabinete de Análise e Pesquisas Bacteriológicas da Bahia. Na direção desse gabinete, pôde fazer diversas publicações de estudos e análises sobre a peste bubônica, tais como: o “Relatório sobre as pesquisas bacteriológicas em um caso suspeito de peste”, e o artigo Considerações sobre a peste bubônica (1899), publicado na Gazeta Médica da Bahia. [1] [2] [3] [4] [5]

Em 1904 foi nomeado pelo governo do Estado diretor do Hospital de Isolamento (atual Hospital Couto Maia) e depois ao cargo de Diretor Geral de Saúde Pública do Estado (1914-1921) e de Secretário do Interior, Justiça e Instrução Pública (1916-1921), no período da epidemia da gripe espanhola (1918-1920). [1] [2][3] [5]

Em 7 de março de 1917, junto com outros intelectuais baianos, fundou a Academia de Letras da Bahia, com o objetivo de cultivar a língua e a literatura nacionais, preservar a memória cultural baiana, amparar e estimular as manifestações, inclusive nas artes e ciências, sendo o segundo presidente da Academia após o falecimento de Ernesto Carneiro Ribeiro, em 1920. [1] [2] [5]

Faleceu em Salvador em 1º de junho de 1939 [1]. Em sua homenagem, a Biblioteca Gonçalo Moniz e o Instituto Gonçalo Moniz, FIOCRUZ Bahia levam o seu nome. [2] [3][4] [5]

Referências

  1. a b c d e f g h « Instituto Gonçalo Moniz – FIOCRUZ BAHIA ». FIOCRUZ BAHIA. Consultado em 27 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2021 
  2. a b c d e f g h « Pathogen Box - Brazil - Gonçalo Moniz Institute, Fiocruz-Bahia». MMV – Medicines for Malaria Venture. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  3. a b c d e f g h «GONÇALO MONIZ- biografia Academia de Medicina da Bahia ». Academia de Medicina da Bahia. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  4. a b c « Livro `Gonçalo Moniz Sodré de Aragão`, por Carlos Torres, Salvador - Bahia, 1964, lombada no estado ». Carlos Alberto Lopes. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  5. a b c d e f g h «DO LACEN É TEMA DE EVENTO NO LEGISLATIVO». Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.