Gondemaro, ou Gondemare, ou Gondomar (ca. 1090 - ?) Freire e Cavaleiro da Ordem dos Templário que se supõe ter sido Português. Um dos nove fundadores da Ordem dos Templários em 1118.

Em 1127, Hugo de Payns e mais cinco "irmãos" viajaram pela Europa, com uma primeira paragem em Roma, para um encontro com o Papa Urbano II. Traziam consigo o projecto da Regra e um pedido do Rei de Jerusalém para que ela fosse aprovada. Dois outros cavaleiros, André de Montbard e Gondemaro, eram portadores de uma carta de Balduíno II (Balduíno de le Bourg, conde de Edessa, primo de Balduíno I), para Bernardo de Claraval, fundador da Ordem de Cister, solicitando a sua intercessão junto do Papa e dos príncipes católicos a favor do reconhecimento e consolidação da Ordem.

André Paraschi[1] escreveu a esse respeito: “Dos fundadores da Ordem na Palestina, dois podiam ser filhos de famílias do Condado Portucalense. São eles Fr. Gondomare ou Gondemar (Gondomar) e Fr. Arnoldo, ou Arnaldo, que (…) poderá ser identificado com o Procurador do Templo em Portugal, Petrus (Pedro) Arnaldo da Rocha”.

FonteEditar

Eduardo Sucena / A epopeia templária e Portugal. Documenta histórica, Vega. Lisboa, 2008

http://www.lusitaniaetemplum.pt/templarios_PT.asp#2

Notas

  1. André J. Paraschi : História dos templários em Portugal, sol Invictus, Lisboa, 1990, P.10