Grupo Música Viva

Grupo Música Viva foi um grupo ou movimento musical brasileiro iniciado no Rio de Janeiro em 1939, sob liderança de Hans-Joachim Koellreutter.[1]

Grupo Música Viva
Informação geral
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Música atonal, Dodecafonismo
Período em atividade 1939-1948
Integrantes Maestro H. J. Koellreutter, Luiz Heitor, Claudio Santoro, Guerra Peixe, Eunice Catunda, Edino Krieger etc.

OrigemEditar

Numa primeira fase, o grupo foi integrado por figuras tradicionais do meio musical carioca, como Luiz Heitor, e teve como patrono Villa-Lobos. Logo de início foi também integrado pelo jovem aluno de Koellreutter, Claudio Santoro.

O grupo organizou concertos, publicou partituras e editou o Boletim Música Viva.

A partir de 1944, com a entrada de novos alunos de Koellreutter (Guerra Peixe, Eunice Catunda e Edino Krieger) o grupo foi assumindo um ar de modernidade radical, confrontando-se com as tradições estabelecidas no meio musical.

DesaparecimentoEditar

Em 1948 o grupo sofreu uma cisão, praticamente deixando de existir, por divergências políticas entre Koellreutter e os jovens compositores. Santoro, Guerra Peixe e Eunice Catunda eram filiados ou simpatizantes do PCB, e passaram a seguir a estética do realismo socialista, com a qual Koellreutter não concordava.

Referências

  1. Folha Online (14 de setembro de 2005). «Professor de Tom Jobim, maestro Koellreutter morre aos 90». Consultado em 5 de Junho de 2012 
   Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.